Nos últimos anos, um grande número de pessoas vem descobrindo que são portadoras da doença celíaca, que é uma doença autoimune, a qual afeta o intestino delgado e interfere na absorção de nutrientes essenciais ao organismo como proteínas, gorduras, carboidratos, água, vitaminas e sais minerais. Isto se deve a uma intolerância permanente ao glúten em pessoas geneticamente predispostas. Contudo, o aumento no número de celíacos não significa que mais pessoas estão nascendo com essa predisposição e sim que os avanços na medicina estão favorecendo um maior número de diagnósticos e constatações. Como o único tratamento são as dietas isentas de glúten, a cerveja, de forma geral, acaba ficando de fora do cardápio dos celíacos por conter glúten.

O glúten é uma combinação de proteínas encontradas em sementes de cereais como o trigo, cevada, triticale, centeio e a aveia. Como a cevada é um ingrediente presente em quase todas as cervejas (existem alguns rótulos fabricados apenas com trigo, o que daria na mesma em termos de glúten), assim como vários estilos de cerveja levam trigo, centeio e aveia em sua receita, a cerveja é uma bebida que deve ficar fora de uma dieta especial para os celíacos.

Como o mercado está sempre de olho nas dietas restritivas visando ganhar a atenção desse público consumidor, as versões dos alimentos que convencionalmente contém glúten, tais quais os pães, biscoitos e cereais matinais ganharam a prateleira de muitas lojas especializadas em suas versões sem glúten (ou gluten free), podendo também ser encontrados em muitas redes de supermercados mais populares.

Para os celíacos apreciadores de cerveja, a boa notícia é que muitas cervejarias têm apostado na produção de cervejas sem glúten e esse investimento vem dando certo já que a aceitação é grande devido à qualidade dos produtos produzidos com cereais alternativos aos que contém glúten, sendo que em alguns casos não existe substituição de cereais e sim o uso de um processo de degradação do glúten nas cervejas produzidas a partir de cevada, trigo, aveia e etc.

Segue uma lista das cervejas sem glúten mais comuns de serem encontradas no Brasil:

Tássila – Cervejaria Saint Bier: leva em sua receita malte de trigo tipo sarraceno, além de lúpulos de aroma e amargor, o que a deixa com aroma e sabor muito próximos aos de uma cerveja tradicional.

Foto-1

Lake Side Beer Lager – Cervejaria Lake Side Beer: produzida a partir de um processo de degradação do glúten, sendo a primeira cerveja brasileira gluten free.

Foto-2

Mongozo Pilsen – Cervejaria Mongozo: além de ser uma cerveja sem glúten, ela utiliza apenas ingredientes orgânicos em sua receita. É produzida com arroz e malte de cevada.

Foto-3

Estrella Daura – Cervejaria Estrella Damm: considerada leve, essa cerveja de origem espanhola foi desenvolvida para ser refrescante sendo uma excelente opção para os dias de calor. Harmoniza bem com pratos leves como peixes.

Foto-4

Green’s Premium Pilsner – Cervejaria Green’s: desenvolvida por um celíaco que não se conformava com as poucas opções gluten free no mercado, essa cerveja é produzida com malte de cevada e milho.

Foto-5

Além dessas, existem muitas outras cervejas sem glúten no mundo, mas a maioria ainda não está sendo vendida no Brasil. Esperamos que mais rótulos possam ser encontrados por aqui e que ainda mais cervejarias invistam nesse tipo de cerveja. De qualquer forma, as que podemos encontrar em nossas prateleiras são boas e podem realmente ser chamadas de cerveja.

Saúde, galera!

*Johnnie Lustoza é diretor, roteirista audiovisual e blogueiro do portal Destino Cervejeiro . Em sua coluna quinzenal no Ameixa Japonesa fala sobre cervoturismo e também dá boas dicas para os amantes da cerveja.


Pois é, cá estamos com novidades do que já rolou na cidade. Espera! O que é mesmo o Yelp? Um site/app mundial em que as pessoas escrevem, espontaneamente, avaliações sobre qualquer tipo de estabelecimento/serviço comercial de uma cidade. Aliás, mais do que isso, somos uma comunidade que pretende mudar a maneira como as pessoas se relacionam e compartilham conhecimento local.

Para começar esquentando (ou refrescando), fizemos o 1º Yelp HappyHour na varandinha delícia do Café Jolie na última quinta-feira. Reunimos alguns novos e outros conhecidos yelpers para rodadas de drinks, cervejas e comidinhas deliciosas do Jolie. Na faixa!

Yelp BH

foto2

foto3

 

E no domingo passado marcamos presença na festa de comemoração de 2 anos do Sofar Sounds Brasil. Chegamos ao Samba Rooms Hostel, local secreto da festa revelado na véspera, dando a primeira cerveja para quem fizesse check-in pelo nosso app. Tudo para aplacar o calor e dar um gostinho diferente ao evento. Dentre tantos shows incríveis, fica aí a dica do Sergio Pererêque fechou a noite com todo mundo de pé e com um sorriso no rosto.

foto4

foto6

foto7

“Eu quero ir no próximo! Como faz?” A gente explica: é só criar um perfil no Yelp e ficar de olhos nos eventos que vamos organizar, marcar presença e sijogar com as pessoas mais interessantes do Belô. Aproveite para fazer avaliações dos seus estabelecimentos preferidos.

E já temos um segundo encontro sendo planejado para o início de novembro. Você vem? Divulgaremos as informações semana que vem.

Enquanto isso, segue a gente por aí no YelpFBInstatwitter e no offline que é mais gostoso ;)

 

Post escrito por Sérgio Souto, Community Ambassador do Yelp em Belo Horizonte.

 


Quem gosta de bolo de limão aqui levanta o dedo! E se esse bolo for com limão siciliano e lemoncello? É tão gostoso que não adianta eu falar, você vai ter que fazer.

  10672186_580681915394864_447134855904175076_n

Ingredientes: 

Massa

•1 xícara de iogurte natural integral

• 2 ovos

•1/3 xícara (80ml) de óleo de milho

•Raspas da casaca de 2 limões sicilianos

• Suco de 1 limão siciliano

•1 colher (chá) de extrato de baunilha

•1 xícara (200g) de açúcar cristal

•½ xícara (120ml) de licor de limão (limoncello)

•2 xícaras (280g) de farinha de trigo

•1 ½ colheres (chá) de fermento em pó

•½ colher (chá) de bicarbonato de sódio

•1 pitada de sal

Glacê

•¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro

•½-1 colheres (sopa) de suco de limão siciliano, mais se necessário

Modo de fazer: 

Massa

Pré-aqueça o Forno a 180C. Unte com manteiga uma forma retangular de 20x30cm. Em uma tigela grande, misture com o batedor de arame o iogurte, os ovos, o óleo, as raspas e o suco de limão. Junte a baunilha, o açúcar e o limoncello e misture bem.Em uma tigela, misture a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal e incorpore-os à mistura de iogurte – não bata demais. Despeje na forma preparada e asse por 20-25 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha.

Glacê

Peneire o açúcar de confeiteiro em uma tigelinha. Aos poucos, acrescente o suco de limão, misturando com uma espátula de silicone, até obter a consistência. Espalhe sobre o bolo já frio. Aguarde a cobertura secar (cerca de 20 minutos).

Rend.: 20 porções

Gostou? Conheça o trabalho da Inês Chaves:

 Fanpage: www.facebook.com/InesChavesCakeDesign

 Instagram: @ineschavescakedesign