Apostando as fichas


instagram: @soutosergio

Acordou cedinho no domingo e foi tomar café com no Floriano. Era aniversário de uma amiga e a manhã virou tarde com drinks. Terminou a noite com boas companhias e pães na Casa Infinita. Almoço no Cinecittà na segunda-feira para começar bem a semana e um pulinho nos lindos papéis da Patrícia de Deus antes de voltar ao batente. Terça-feira foi à Vila211 comprar um presente de casamento e alguns filmes lomográficos na PopCorn. Quarta é um dia mais ou menos, então cai bem uma parada estratégica no Arcângelo para apreciar comidinhas na varanda mais charmosa do centro da cidade. Quinta já é quase sexta, via sacra na Savassi pelo BombShellMambo e Pomodori, não necessariamente nessa ordem. Sexta, para quem não é tão fã de balada, rola um cineminha no Belas Artes e um jantar no Obardô. Manhã de sábado pelos museus doCircuito Cultural Praça da Liberdade, tarde em alguma oficina do Restaurante Popular e jantar de fim de noite na casa de amigos (insira aqui seu próprio link).

Belo Horizonte é uma roça mesmo, as pessoas são tão atrasadas, nada acontece de legal por aqui. Sério? Já ouvi dizer que a gente só reconhece a energia que emite. Eu resolvi trocar as lentes dos óculos, das câmeras e mudar a engrenagem que move minha disposição. Agora aposto todas as minhas fichas no potencial dessa cidade e nesse pessoal cabeça aberta, tranquilo e criativo que vem movimentando as estruturas da tradicional família mineira (falida).

Faça alguma coisa ou os velhos hábitos vão roubar o seu humor. Abra a porta de casa, trabalhe menos, produza mais, troque ideias sem medo e mate aquele mineiro difícil que existe dentro de você.

*Este post não foi e nunca teve a intenção de ser patrocinado. Todos os lugares citados acima foram frequentados e experimentados (ou no mínimo reconhecidos) muitas vezes e saíram de uma lista muito mais extensa. Duvida? Que pena, você não sabe o que está perdendo em BH. Mas se alguém aí curtir, quem sabe meu próximo post não vira um complemento deste com mais uma penca de lugares legais para conhecer?

Sérgio Souto é sócio-fundador do laboratório de conteúdo CoolHow Creative Lab e, atualmente, está ignorando gente metida a intelectual, moderna e/ou viajada que joga confete só naquilo que está fora e muito longe daqui.

6 Comentários

   porque sou de beagá mesmo! « many tabs 05/07/2012

[...] Apostando as fichas [...]

   Bethina Cançado 06/07/2012

Adorei o texto!!!
Visão bacana e correspondida. Cabeça aberta, criatividade, nova postura de olhar no olho e aí se reconhecer.
Mas, “a gente só reconhece a energia que emite”…

   Bianca Coelho 06/07/2012

Fiquei fã!

   Denia 06/07/2012

Adorei!Todos os seus textos sao oooootimos.So preciso conhecer os lugares..rsrsr

   Andre 08/07/2012

Concordo demais! Quem fala que “BH não tem o que fazer”, ou é “uma roça”, não sai de casa com frequência.

   hélio m. 09/07/2012

Legal demais!




Deixe um comentário


RSS Feed para os comentários deste post.

TrackBack URL