large (1)

Aqui estamos novamente para descobrir um pouco mais das peculiaridades da bebida dos deuses. Nos nossos bate-papos, sempre falo de alguns termos usados nesse universo dos vinhos. Comecei a pesquisar sobre o assunto, e achei um glossário no site “Academia do Vinho”, que é muito completo. Coloquei as palavras mais usadas e algumas novidades. Acredito que existam outros glossários e outras tantas palavras, mas com essas que veremos logo abaixo, já teremos o básico. Assim, além de degustar, agora vocês já podem pronunciar as palavras certas que descrevem essa bebida maravilhosa.

large

 - A -

ACIDEZ – sensação de frescor agradável, provocada pelos ácidos do vinho (cítrico, tartárico, málico, lático) e que resulta em salivação.
ADSTRIGENTE – com muito tanino, que produz a sensação de aspereza (semelhante a que é sentida ao comer uma banana verde); é o mesmo que tânico ou duro.
ALCOÓLICO – com muito álcool, desequilibrado.
AMARGO – com amargor, indica defeito.
AMÁVEL – suave ou ligeiramente doce
AMBIENTAR – (em francês CHAMBRER) deixar o vinho à temperatura ambiente, do recinto onde é servido.
APAGADO – de aroma inexpressivo.
AROMA – odor emanado pelo vinho. O primário é proveniente da uva. O secundário é resultante da vinificação. O terciário origina-se do envelhecimento e é denominado buquê.
AROMA DE BOCA – ver retrogosto.
ÁSPERO – com excessivas adstringência e acidez (esta um pouco menor).
AVELUDADO – macio, untuoso, viscoso com textura de veludo.
AVINAGRADO – com odor e sabor de vinagre, deteriorado, inutilizado para o consumo.

- B -


BALANCEADO – que apresenta harmonia entre os aspectos gustativos fundamentais, em especial a acidez, a doçura adstringência e o teor alcoólico o mesmo que o equilibrado e harmônico.
BRUT (francês) – utilizado para espumantes muito secos.
BUQUÊ – (do francês bouquet) – aroma complexo, também denominado aroma terciário, resultante do envelhecimento.

- C -

CARÁTER – conjunto de qualidades que dão personalidade própria ao vinho permitindo distingui-lo de outros.
CAVA – nome dos espumantes espanhóis.
CHAMBRER (francês) – o mesmo que ambientar.
CHATO – vinho sem acidez ou espumante que perdeu o gás, o mesmo que plano ou plat (francês) ou flat (inglês).
CHEIO – o mesmo que encorpado.
CLAIRET (francês) – nome utilizado pelos franceses a vinhos tintos leves, frutados, quase rosés.
CLARET (inglês) ou CLARETE (francês) – termo usado pelos ingleses para se referir aos vinhos tinto de Bordeaux, na França, desde o século 17. Nessa época os tintos franceses eram mais leves, de cor mais clara. Esse termo é usado até hoje pelos ingleses e pode ser encontrado na literatura.
COMPLEXO – com aromas múltiplos, com buquê.
CORPO – sensação tátil do vinho à boca, que lhe dá peso (sensação de “boca cheia”) e resulta do seu alto teor de extrato seco.
CORTE – mistura de vinhos diferentes. O mesmo que assemblage (francês).
CURTO – que não deixa sabor persistente na boca; de retrogosto, curto.

- D -


DECANTER (inglês) – decantador. Frasco de vidro usado para decantar vinhos que possuem sedimento formado durante o envelhecimento. É também usado para arejar (“respirar”) o vinho antes de servi-lo.
DELGADO – vinho de pouco corpo.
DELICADO – equilibrado e sóbrio.
DEMI-SEC (francês) – meio seco, ligeiramente doce.
DENSO – viscoso, encorpado.
DESARMÔNICO – que possui exacerbação de um dos componentes gustativos, mascarando-os (ex: excessiva acidez, tanicidade exagerada, doçura elevada) ; o mesmo que desequilibrado.
DESBALANCEADO – o mesmo que desarmônico ou desequilibrado.
DESEQUILIBRADO – O mesmo que desarmônico, desbalanceado.
DURO – o mesmo que adstringente e tânico.

- E -


ELEGANTE – o mesmo que delicado.
ENCORPADO – que tem muito corpo.
ENÓFILO – apreciador e estudioso de vinhos.
ENOLOGIA – ciência que estuda o vinho.
ENOLÓGICO – relativo à enologia ou ao vinho.
ENÓLOGO – indivíduo que tem conhecimentos de enologia; formado em faculdade de enologia.
EQUILIBRADO – o mesmo que balanceado.
ESCANÇÃO – o responsável pelo serviço de vinhos de um restaurante; o mesmo que sommelier (francês).
ESPESSO – o mesmo que encorpado e cheio.
ESPUMANTE – vinho com gás carbônico, efervescente; nos de qualidade o gás é resultante da fermentação.

- F -

FARTO – muito doce e com baixa acidez.
FECHADO – jovem, recém-engarrafado, ou recém-aberto e que ainda não demonstra toda a sua potencialidade.
FIRME – jovem com estilo.
FLAUTA – taça ideal para espumantes.
FLORADO – com aroma de flores.
FLORAL – o mesmo que florado.
FORTIFICADO – ao qual é adicionado aguardente vínica, como o vinho do Porto, o Madeira, o Jerez, o Marsala, o Banyuls e outros.
FRANCO – sem defeitos; também usado para vinho que não deixa retrogosto.
FRESCO – vinho que possui frescor, boa acidez.
FRESCOR – sensação agradável transmitida geralmente pelos vinhos brancos, jovens ou espumantes, resultante de um ligeiro predominância da acidez, sem perder o equilíbrio.
FRISANTE – efervescente, com pouco gás carbônico (menos que espumantes).
FRUTADO – com aroma de frutas.

- G -

GENEROSO – forte, com alto teor alcoólico.
GORDO – suave e maduro.
GRANDE – excelente.
GRAPA ou GRASPA – Bebida destilada tipicamente italiana, produzida a partir das cascas e resíduos do mosto de uva.
GROSSEIRO – adstringente, sem elegância.
GROSSO – elevada acidez e muito extrato.

- H -


HARMÔNICO – o mesmo que balanceado e equilibrado.
HERBÁCEO – com aroma de ervas.

- I -

INSÍPIDO – sem gosto característico, sem caráter.

- J -


JOVEM – vinho geralmente frutado, pouco tânico com acidez agradável e que não se presta ao envelhecimento (Ex: vinhos brancos em geral, espumantes e a maioria dos vinhos brasileiros); pode também significar vinho recém-fabricado,que pode e deve envelhecer.

- L -


LEVE – com pouco corpo e pouco álcool,mas equilibrado; o mesmo que ligeiro.
LONGO – de boa persistência (ver verbete).

– M -

MADEIRIZADO – vinho branco oxidado que adquire cor que vai de dourada a castanho, aroma adocicado (cetônico) e gosto amargo.
MADURO – no apogeu de sua vida; estado que precede a decadência.

- N -

NERVOSO – com acidez e adstringência altas, não necessariamente excessivas.
NEUTRO – sem caráter marcante.
NOVO – do ano em que foi colhido ou com um ano de engarrafamento.

- O -

OLEOSO – viscoso.
OPACO – turvo; velado; sem limpidez.
ORGANOLÉPTICO(A) – sensorial, que sensibiliza os sentidos. As características organolépticas de um vinho são as suas sensações olfatórias, gustativas e táteis, percebidas durante a sua degustação.
OXIDADO – que sofreu oxidação; envelhecido além do suportável; decomposto na cor (do dourado ao castanho para os brancos e do tijolo ao marron para os tintos), no aroma (adocicado, cetônico, etc.) e no sabor (desagradável e apagado); para os vinhos brancos tem o mesmo significado que madeirizado.

- P -

PASTOSO – o mesmo que encorpado.
PEQUENO – sem carater; secundário, inferior.
PERFUME – o mesmo que buquê.
PERSISTÊNCIA – sensação do gosto deixado pelo vinho na boca (retrogosto) após ser deglutido ou cuspido. Quanto melhor o vinho, maior o tempo de persistência, do retrogosto: 2 a 3 segundos nos curtos, 4 a 6 segundos nos médios e de 6 a 8 nos longos.
PESADO – encorpado, mas com pouca acidez; sem fineza.

- Q -

QUENTE – Referência à sensação de calor causada pelo teor alcoólico alto de um vinho.

- R -

REDONDO – maduro e equilibrado.
RETROGOSTO ou AROMA DE BOCA – sensação gustativo-olfatória final deixada pelo vinho na boca, após ser deglutido ou cuspido. Ela é percebida através da aspiração do ar pela boca, o que provoca a sua passagem pela nasofaringe (comunicação entre a boca e o nariz) e a consequente estimulação dos receptores olfatórios no nariz. Alguns estudiosos preferem utilizam a palavra retrogosto para as sensações desagradáveis percebidas ao final da degustação.
ROBUSTO – encorpado, nervoso e, sobretudo, redondo.
ROLHA – diz-se que o vinho tem odor e/ou gosto de rolha quando apresenta aroma desagradável passado por rolha contaminada pela Armillaria mella (fungo parasita da casca da árvore com a qual é feita a rolha, o sobreiro).

- S -

SÁPIDO – com acidez moderada (entre o chato e fresco).
SEDOSO – o mesmo que aveludado.
SUAVE – o mesmo que ligeiro; também significa vinho meio-doce (demi-sec).

- T -

T NICO – que tem muito tanino ou no qual o tanino sobressai; o mesmo que adstringente e duro.
TANINO – substância existente na uva e que confere a adstringência ao vinho.
TERROSO – com sabor de terra, do solo de onde veio a uva.

- V -

VELHO – bastante envelhecido.
VERDE – com acidez acentuada, mas agradável e refrescante.
VISCOSO – o mesmo que aveludado, sedoso e untuoso.

Au revoir! Salut!

Ana Salles é Relações Públicas, curte moda e cinema, tem um relacionamento sério com o Vinho e um pezinho no marketing e outro na cozinha.

Deixar uma Resposta