Rede Sola de Dança, projeto que surgiu aqui em Belo Horizonte, lançou um projeto de financiamento coletivo para realizar sua primeira iniciativa – a Mostra Sola de Dança.
Eles se uniram com o objetivo de movimentar o mercado para danças de solo, de todas as modalidades. O núcleo gestor é formado pelos bailarinos: Priscila Patta; Italo Augusto; Lucas Medeiros; Duna Dias; Nicolle Vieira. A rede em si, atualmente, já possui mais de 25 pessoas colaboradoras e interessadas em fazer parte.
Ao conseguirem sucesso no financiamento coletivo, a Mostra Sola de Dança acontece em maio no Teatro Espanca, Belo Horizonte, e terá uma programação com espetáculos, workshop e festa.
Assista o vídeo da campanha!

Essa será a primeira iniciativa da RSD, mas eles já estão com mais planos. Querem realizar a Mostra Feminina de Dança em São Paulo; em junho de 2016 farão a 1ª Mostra de Vídeo-Dança – que inclusive está com convocatória aberta para receber trabalhos.  E no segundo semestre, pretendem iniciar ações constantes na cidade, com sessões de performances em formatos mais flexíveis, entre outros.
Suas propostas são também motivos para apoiar a campanha de crowdfunding:

1. Existem vários bailarinos e bailarinas que desenvolvem projetos de dança solo, mas o mercado não cresceu na mesma proporção. A proposta da RSD é apoiar esses artistas para que seus trabalhos possam existir, de forma profissional.

2. Enquanto um membro da rede dança, o outro produz, o outro faz a luz, o outro faz a cenografia, você assiste, e assim por diante. O que eles querem é promover uma união de saberes.

3. Dança solo pode ser contemporânea, flamenca, dança do ventre, dança popular, dança aérea, hip hop e muito mais. A ideia da RSD é unir esses estilos e artistas através de intercâmbios e trocas constantes. Sozinhos, porém muito bem acompanhados. E o público está convidado a fazer parte seja na plateia, seja nas discussões ou nas aulas. Sendo um colaborador ativo, que participa e constrói junto.

4. Qual é o lugar da dança? Eles entendem que são todos. Sejam as ruas, bares, cafés, teatros, onde for. O objetivo é atenuar essas fronteiras espaciais.

5. Eles vão incentivar o diálogo! O objetivo é unir jeitos diferentes de fazer dança.

6. A RSD vai incentivar o público a dançar, promovendo encontros pela cidade. Oferecer diversas formas de se fazer e apreciar a dança é o que se pretende. Eles querem promover a dança como um lugar de celebração, de construção de saberes, de estudos científicos e autorais, de formação cidadã, de encontro com o próprio corpo e com as pessoas.

Campanha de financiamento coletivo para a I Mostra Sola de Dança, na plataforma variavel5.com.br/projetos/mostrasola/ 

Deixar uma Resposta