Separamos 5 peças para você assistir na 43a Campanha de Popularização do Teatro e da Dança! As três primeiras peças são adultas e outras duas para os pequenos.

 

oratorio-campanha-teatro

Uma releitura do clássico de Miguel de Cervantes. A renomada trama espanhola “Dom Quixote De La Mancha” ganha elementos da cultura mineira no espetáculo “Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança”, idealizada pela Cia. Burlantis. A apresentação única será dia 10 de fevereiro, sexta-feira, às 20h30, no grande teatro do Palácio das Artes. A peça faz parte da Campanha de Popularização do Teatro & Dança, e o valor do ingresso é R$15, nos postos de venda do SINPARC.

Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança
Data: 
10/02/2017
Horário: 20h30
Local: Palácio das Artes – Grande Teatro
Valor do Ingresso: R$15 (Campanha de Popularização do Teatro e da Dança)

HeroisUmaPausaParaDavid_campanha-popularizacao

“Heróis: Uma Pausa Para David” é um espetáculo idealizado, escrito e dirigido por Paulo Azevedo e interpretado e colaborado pela atriz Samira Ávila (ambos fundadores e ex integrantes do premiado Grupo Espanca!). Inspirado livremente nas muitas vidas e músicas de David Bowie, David Gilmour, Bob Dylan e outros astros da cultura rock dos anos 70, a montagem toca a sensibilidade do espectador ao abordar valores submersos no cotidiano contemporâneo, como a busca da identidade, a anestesia dos afetos e o respeito pelas diferenças.

Heróis: Uma Pausa Para David
Data:  
25.02 a 07.03
Horário: 20h
Local: CCBB-BH
Valor do Ingresso: R$10 (inteira) e R$5 (meia)

 

DE TEMPO SOMOS – UM SARAU DO GRUPO GALPÃO

Em “De Tempo Somos – Um Sarau do Grupo Galpão”, a companhia de teatro mais renomada de Minas realiza um sonho antigo de celebrar, com o público, o encontro da música e do teatro. Em cena, o grupo foge ao rótulo de espetáculo e experimenta um formato de sarau com cantoria, festa e poesia.

De Tempo Somos – Um Sarau do Grupo Galpão

Data: 4 e 5 de fevereiro
Horário: Sábado – 20h30 e Domingo – 19h
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes
Valor Ingresso: R$12

 

magico-de-oz-jojo-e-palito-campanha-popularizacao

Um vento forte levou Dorothy, seu cachorro e sua casa para onde existia O Reino de Oz. Longe, descobre que não há melhor lugar que o seu lar e sai em busca do grande Mágico de Oz, para que ele a mande de volta para o Kansas. No caminho encontra com o Espantalho, que segue com ela para pedir ao Mágico que lhe dê um cérebro, em seguida com o Homem de Lata que se junta aos dois para pedir para si um coração e, finalmente, com Leão que vai em busca de coragem.

Jojo e Palito em O Mágico de Oz

Data: Até 29 de Janeiro
Horário: 16h (sexta a domingo)
Local: Teatro da Assembléia
Valor Ingresso: R$15
Armatrux

 

“Armatrux, a banda” é uma banda de bonecos composta por quatro personagens vindos de universos distintos e uma convidada especial, a Pianista Mafalda Jackson.Com uma interpretação vibrante, os bonecos ganham vida e arrebatam o público em um show com muitas luzes, fumaça e efeitos, construindo um universo musical cheio de surpresas.

Armatrux, a banda

Data: 11 e 12 de Fevereiro
Horário: 17h
Local: Rua Himalaia, 69 – Vale do Sol
Valor Ingresso: R$15

 Clique aqui para ver a programação completa da 43a Campanha de Popularização do Teatro e da Dança


circuito-cultural-praça-da-liberdade-ferias

Os espaços do Circuito Liberdade oferecem uma programação especial a partir dessa semana. São diversas atividades, para crianças e adultos, como oficinas, espetáculos teatrais, contação de histórias, além da programação permanente dos espaços.

No CCBB-BH estreia, no dia 4 de janeiro, uma curta temporada da peça “Aprendiz de Feiticeiro”. O espetáculo conta a história de Arthur, um jovem, dono de uma extensa imaginação, além de ser um ótimo aluno, mas que sofre bullying na escola. A vida do garoto muda quando ganha um celular com poderes mágicos, ele é então transportado para o passado, começa assim uma grande aventura cheia de criaturas mágicas, como bruxas e vampiros.

Segundo o diretor do espetáculo, Eduardo Figueiredo, “O Aprendiz de Feiticeiro” é para toda família, agrada crianças e adultos. Cheio de surpresas, mágicas, bonecos, efeitos de luz, o espetáculo vem sendo um sucesso de público e crítica, são inúmeros pedidos de apresentações nas redes sociais. “Uma curiosidade sobre a temporada foi a presença de pessoas adultas sozinhas assistindo o espetáculo e adorando. Isso me surpreendeu! Tenho certeza que iremos repetir o sucesso de São Paulo nesta curta temporada em Belo Horizonte”.

No Espaço do Conhecimento da UFMG, o Planetário tem de terça a domingo, quatro sessões diárias que exploram temas como o céu de Belo Horizonte, as narrativas do escritor inglês William Shakespeare e a importância do uso consciente da iluminação. O museu preparou ainda várias oficinas, como “Coleção de estrelas”, em que os participantes receberão mapas estrelares para criarem suas próprias constelações, além de uma discussão sobre os mitos, lendas e histórias envolvendo a temática.

No MM Gerdau Museu das Minas e do Metal, dia 17 de janeiro, das 13h às17h, acontece a oficina em que os participantes poderão confeccionar seus próprios equipamentos para fazer bolhas de sabão gigantes. Já na oficina “Desenhando o Patrimônio”, no dia 18 de janeiro, das 13h às 17h, os visitantes poderão ilustrar os principais patrimônios históricos e geológicos brasileiros e mundiais através de técnicas de desenho.

O setor Educativo da Casa Fiat de Cultura também preparou uma série de atividades para toda a família no Ateliê Aberto. “No período de férias o Ateliê permanece aberto como uma oportunidade para que toda a família participe junta das atividades. O objetivo é contribuir para que os visitantes tenham múltiplas experiências por meio da arte, em um espaço colaborativo onde é possível ensinar e aprender de maneira livre e lúdica”, diz  Clarita Gonzaga, coordenadora do Programa do Educativo.

Veja a programação completa: circuitoculturalliberdade.com.br


Mostra de Cinema de Tiradentes Foto Leo Lara-Universo Produçã (2)

No ano em que celebra seus 20 anos de realização, a Mostra de Cinema de Tiradentes, entre os dias 20 e 28 de janeiro de 2017, terá como temática central  “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção”. A proposta, desenvolvida pelo curador Cleber Eduardo, é colocar em debate – através dos filmes selecionados e de mesas de discussão com especialistas e pesquisadores – um cinema que reage a seu espaço e a seu tempo histórico, na maior parte do tempo assumindo pontos de vista através das articulações de linguagem.

O evento homenageia este ano as atrizes Helena Ignez e Leandra Leal, duas mulheres do cinema brasileiro que se destacam em suas atuações múltiplas de atrizes, produtoras e diretoras nos últimos anos. As homenagens serão prestadas na abertura da Mostra, no dia 20 de janeiro (sexta), no Cine Tenda, com a entrega do Troféu Barroco, oficial do evento. Na sequência, será exibido o documentário Divinas Divas, estréia de Leandra Leal na direção. O tributo se estende no fim de semana, com a exibição dos filmes da Mostra Homenagem: Nome Próprio (2007), de Murillo Salles, com Leandra; A Mulher de Todos (1969), de Rogério Sganzerla, com Helena; e o curta A Miss e o Dinossauro (2007), dirigido por Helena.  Também no fim de semana, ocorre o debate “O percurso de Helena Ignez e Leandra Leal”, que vai reunir as duas no centro de um bate-papo com a plateia.


TEMÁTICA – CINEMA EM REAÇÃO

A temática desta edição se pautou pela efervescência social e política ao longo de 2016 e as maneiras como o cinema e a arte se movem neste contexto. “A discussão a se propor é que a reação aos recentes acontecimentos políticos ou sociais, através do cinema, só terá força se o cinema for colocado como carro-chefe, e não como palanque, megafone, hashtag ou militância”, diz o curador. “Se a militância estiver à frente dos filmes, o efeito será limitado. Para um cinema verdadeiramente político, a estética deve estar ao lado ou à frente do político”, ressalta o curador Cleber Eduardo

Uma das questões a serem abordadas pela temática é: como pode o cinema confrontar as questões contemporâneas sem que os filmes se tornem reportagens em tela grande? “A Mostra Tiradentes destacou-se entre os festivais de cinema dos últimos 10 anos por assegurar um espaço para os espíritos e práticas independentes, ou dependentes acima de tudo da paixão em grupo pelo fazer cinematográfico, como reação alternativa aos modos formais e de produção considerados convencionais (editais, leis de incentivo, concursos de roteiro)”, analisa o curador. “Para um festival como este, defendemos acima de tudo a resistência à banalização de certos modos de abordagem ainda primários e precários, justamente com a proposição de filmes que procuram atravessar as pautas políticas imediatas com respostas formais de cinema”.

 

HOMENAGENS

As homenagens da 20ª edição da Mostra Tiradentes seguem o conceito em torno das reações e reinvenções ao escolher duas atrizes emblemáticas e autorais da produção audiovisual brasileira, frutos de momentos e potências distintas da nossa história. Daí a escolha por Leandra Leal e Helena Ignez. Cada uma vem construindo carreiras sólidas e poderosas na relação com a autoralidade, o corpo, a interpretação, a produção e a direção. Talentos de força maior que, juntas, vão abrilhantar um ano tão especial do evento mineiro que abre o calendário audiovisual brasileiro.

10/11/2016. BRASIL. RIO DE JANEIRO- RJ. 2º Arquivo em Cartaz. Foto: Leo Lara.

Aos 34 anos, Leandra Leal recebe a homenagem em Tiradentes no exato ano em que também completa duas décadas de cinema. “Se começou na televisão em meados dos anos 1990, primeiro na série Confissões de Adolescente e depois na novela Explode Coração,  foi com A Ostra e o Vento (1997), de Walter Lima Jr, que nasceu a futura atriz de primeira linha”, destaca Cléber Eduardo, curador da Mostra. “Aos 13 anos, ela foi aprovada nesse vestibular para adultos, com sua presença suspirante, em trânsito metafísico e metafórico entre o despertar da sensualidade e a sensorialidade do imaginário, tendo a natureza como estímulo”.

Leandra imediatamente chamou atenção por sua presença magnética e pelos prêmios recebidos por A Ostra e o Vento. Desde então, construiu carreira entre a televisão, o teatro, a música e o cinema e atuou para cineastas como Julio Bressane, Paulo César Saraceni, Jorge Furtado, José Eduardo Belmonte, Murilo Salles, Daniela Thomas, Toni Venturi, Bruno Safadi, Sérgio Rezende e Fernando Coimbra. Entre seus trabalhos mais recentes, ela aparece como atriz na pele de uma evangélica no ainda inédito O Rei das Manhãs (2017), de Daniel Rezende, e estreia na direção com o documentário Divinas Divas (2016), centrado nas trans cariocas Rogéria, Valéria, Jane Di Castro,Camille K, Fujica de Holliday, Eloína, Marquesa e Brigitte de Búzio.

 06_Helena_Ignez_Crédito_Leo Lara

De uma geração anterior, Helena Ignez, também homenageada pela Mostra de Cinema de Tiradentes em 2017, impõe-se como memória e como presente. Aos 74 anos, ela é memória desde o fim dos anos 1950, no teatro e no cinema. Primeiro, como atriz, estreando nas telas no curta O Pátio (1959), de Glauber Rocha, explodindo os olhares e as sensibilidades em O Padre e a Moça (1965), de Joaquim Pedro de Andrade, e se firmando como atriz-autora em filmes de Rogério Sganzerla e Julio Bressane. A partir de 2007, iniciou o caminho também de diretora, numa trajetória ainda em construção e cada vez mais ousada e inventiva que já soma seis filmes. Seu corpo circulante de energia mística, mítica e libidinal, não importa com qual idade, sempre em estado de performance, marcou gerações de espectadores, realizadores, atores e atrizes.

Uma novidade do próximo ano é que a Mostra de Tiradentes escolheu Helena Ignez não apenas como uma das homenageadas, mas também para nomear o prêmio a ser entregue, já a partir desta edição, a uma mulher em alguma das funções de criação cinematográfica em longa ou curta-metragem presente nas mostras competitivas do evento – Mostra Aurora e Mostra Foco.

 

As oficinas gratuitas, uma das grandes atrações da Mostra, já estão com as inscrições abertas até 5 de janeiro. Interessados devem fazer o cadastro no site  www.mostratiradentes.com.br  

Serviço:

20ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

20 a 28 de janeiro de 2017

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO


feira-das-autoras-bh

A Quintal Edições e a Casa Imaginária se uniram para realizar a Feira de Autoras: uma oportunidade de conhecer em um só lugar várias mulheres que publicam seus livros de forma independente ou com suporte de uma editora, um dia inteiro dedicado à mulher no mercado editorial, com direito a oficina de escrita, roda de conversa e lançamentos de livros. Tudo isso nos cômodos e jardins da Casa Imaginária, com boa música, comidinhas gostosas e bar à beira da piscina.

► A entrada é gratuita, é só chegar e aproveitar!

// AUTORAS CONFIRMADAS
Ana Carolina Macedo Barbosa
Betzaida Mata
Bruna Kalil Othero
Clarissa Nacif
Flávia Péret
Gena Albinati
Jussara Santos
Leila Brito
Lourdes Oliveira
Luana Simonini
Luiza Fainblat
Nirlene da Consolação Oliveira

// EDITORAS CONFIRMADAS
Outubro Edições
Relicário Edições
Impressões de Minas Editora
Quintal Edições

// PROGRAMAÇÃO DO DIA

10h às 13h: Oficina com Carina Goncalves:
SELFIE PERO NO MUCHO – o autorretrato ficcional
Por meio da análise de obras de artistas, escritoras e escritores, vamos discutir o autorretrato na literatura e nas artes plásticas. A partir disso, as participantes serão convidadas a produzirem seus autorretratos ficcionais: literários ou fotográficos.
Carina é formada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Processos da Imagem e da Palavra na PUC-MG e participou do curso de Cinema Autorreferencial na EICTV em Cuba. Seu primeiro livro, Seu Vicente, está em fase de preparação para publicação no primeiro semestre de 2017.
Inscrições: bit.ly/2g0NelS
Valor: 40,00 reais
Mínimo 5 e máx. 10 participantes

13h: Música com DJ Pat Manoese
Com influências de música urbana, latinidades, africanidades, funk e brasilidades, seu set é fruto de pesquisa sobre a representação e o protagonismo das mulheres na música.

16h: Roda de Conversa #leiamulheres
O projeto Leia Mulheres chama atenção para a falta de visibilidade das mulheres no mercado editorial. Aqui em BH ele funciona como um clube de livros e discussão e nesta roda vamos entender como o projeto tem se desdobrado e seus impactos.

// MAS POR QUE FAZER UMA FEIRA DE AUTORAS?
As mulheres têm reivindicado seu lugar ativo em várias esferas da sociedade. E essa força também chegou ao mercado editorial. A pouca representatividade feminina na literatura vem sendo questionada e surgiram, além das muitas discussões sobre o tema, várias iniciativas práticas que ajudam a promover e a valorizar o lugar da mulher autora. Queremos fazer parte dessa construção e abrir mais espaço para as mulheres autoras no cenário de BH.

 

Feira de Autoras

Onde? Casa Imaginária – Rua Cristina, 1261, Santo Antônio

Quando? 18 de Dezembro, de 10 às 17h.


 

festifrance-mostra-francesa-de-cinema

A segunda edição do FESTiFRANCE – Mostra Francesa de Cinema começa hoje (19.10) no Sesc Palladium. Além da mostra de filmes longas, médias e curtas-metragens que exibirá quase 70 produções, a programação conta com um workshops, oficinas e debates.

FESTiFRANCE – Festival de Cinema Francês
Data: 19 a 30 de outubro
Entrada Gratuita
Local: Sesc Palladium (Av. Augusto de Lima, 420 – Centro)
Programação: www.festifrancebrasil.com

 

mostra-cine-bh

Nesta quinta tem a abertura da 10ª edição da mostra CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, com a pré-estreia do filme “Elon não acredita na morte”. O longa é um dos destaques da produção cinematográfica mineira atual e vencedor do prêmio de melhor ator no festival de Brasília deste ano para Rômulo Braga. O evento que acontece no teatro Sesiminas, às 20h, é aberto ao público e gratuito com retirada de ingresso uma hora antes.

A mostra CineBH vai de 20 a 27 de outubro com exibição de 57 filmes nacionais e internacionais, em pré-estreias e retrospectivas, de 13 países e nove estados brasileiros com destaque e debate a efervescente produção de Portugal, além de premiações, oficinas, workshops e seminários. A mostra também convida 21 profissionais da indústria audiovisual de 12 países que estarão na capital mineira para encontros de coprodução e negócios com o cinema brasileiro.

10ª  CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte
Data: 20 a 27 de outubro de 2016
Entrada Gratuita
Locais: Palácio das Artes, Cine 104, Teatro Sesi Minas, Sesi Museu de Artes e Ofícios, Sesc Palladium e MIS Cine Santa Tereza
Programação: www.cinebh.com.br

 

100-melhores-filmes-brasileiros

Acontece hoje (19.10) no Cine Santa Tereza o lançamento do livro “100 melhores filmes brasileiros” com a exibição do filme  ”O beijo da mulher aranha” (1985), dirigido por Hector Babenco. O Grupo Editorial Letramento e os críticos da ABRACCINE, Renato Silveira, Pablo Villaça e Paulo Henrique Silva, também promovem um bate papo sobre o livro “100 melhores filmes brasileiros”, onde comentarão as obras cinematográficas e ensaios que compõem o exemplar.

Lançamento do livro “100 melhores filmes brasileiros”
Local: MIS Cine Santa Tereza
R. Estrela do Sul, 89 – Santa Teresa, Belo Horizonte.
Entrada: Gratuita
Horário: 19h30