camaraderia-ameixa-japonesa-06

Inaugurado em maio, o Camaradería é o primeiro gastrobar 100% vegano da cidade. Com cardápio variado e convidativo, o estabelecimento oferece opções de almoço, café e happy hour num ambiente que é um charme a parte! A decoração do espaço é marcada pela pegada retrô, com toque industrial rústico e moderno.

O almoço oferece um cardápio com apenas três opções de pratos de principal, mas que muda todos os dias. A proposta de cardápio enxuto me agradou muito por oferecer comida elaborada, gostosa e com o tempo de esperada do prato super ok.

camaraderia-ameixa-japonesa-01

 

 

Iscas litorâneas com molho mediterrâneo, acompanhado com purê de baroa ao perfume siciliano e arroz caramelizado de amêndoas

camaraderia-ameixa-japonesa-03

Cheesecake de frutas vermelhas

E existe sobremesa sem derivados de leite saborosa? Existe, gente! Paguei língua e AMEI a cheesecake de frutas vermelhas de lá. Também experimentei Gateau com gelato de chocolate que não deixou nada a desejar por ser vegano.

camaraderia-ameixa-japonesa-05

 

Cerveja artesanal Bauernhof

A cerveja artesanal Bauernhof é uma ótima pedida para o happy hour, delícia e você encontra lá. O cardápio da noite é bem diversificado, com porções, petiscos e sanduíches…deu vontade de voltar para experimentá-los. Outros pontos positivos do Camaradería: atendimento e o preço.

.

camaraderia-ameixa-japonesa-07


Fotos: Osvaldo Castro


O filme brasileiro mais esperado ano, Bingo – O Rei Das Manhãs, veio para conquistar corações dos amantes dos anos 80. Arrisco a dizer que não só de quem viveu naquela época. Chega, ainda, para mostrar, também, os áureos tempos das manhãs infantis nas telinhas brasileiras. E claro, a maior referência do filme, o palhaço Bozo. Não pense que o filme se resume a isto. Ele vai além. E até mesmo quem tem medo de palhaços pode assistir, porque vale a pena.

bingo-o-rei-das-manhas

Vladmir Brichta (em seu melhor papel), dá vida a história de uma ator que resolve tentar ser reconhecido no seu trabalho. Seu grande foco é dar orgulho ao seu filho e a mãe, também atriz. Sabendo do seu potencial de fazer as pessoas rirem, Augusto tenta um espaço na televisão.

Tentar algo maior e um espaço na empresa de televisão dominante na casa dos brasileiros, ser rejeitado por seus maiorais, fazem com que o Augusto procure em outra emissora uma oportunidade para mostrar seu potencial. Um teste para um palhaço de formato pronto da TV americana, é o que ele precisa e confia para dar a volta por cima. Suas espertezas em improvisos fazem com que ele conquiste a oportunidade de ser o apresentador engessado tão famoso nas telinhas de lá.

Augusto sai do roteiro na tentativa fazer aquele sucesso norte-americano ser um sucesso brasileiro. O sair do roteiro vai além das câmeras. A sua vida também sai. Isto torna o filme envolvente. A fama e o reconhecimento levam o personagem principal a perder os trilhos. Aquele ator mascarado que muda a maneira de ver um programa televisivo, se deixa levar por uma vida e autoconfiança que causa outra reviravolta.
bingo-o-rei-das-manhas-2

Um filme quando é bem conduzido nos faz pensar. Seria esta reviravolta na vida do Augusto uma coisa normal da época? Aquele personagem era apenas um muro da sua real personalidade? Seriam os dois parecidos? Ou seria o conflito do personagem ser maior que o ator por trás de um nariz de palhaço? Bem, as respostas destas e outras, e se teve ou não um final feliz, deixarei para que cada um pense a vontade após assistirem o filme.

Um receita boa, sempre infalível, é a vida pessoal de um artista famoso com seus altos e baixos. Isto é perfeitamente tratado em prato cheio. Outros grandes destaques é a direção peculiar e incrível do Daniel Rezende, e a atuação de outra estrela Leandra Leal. O fato de ser uma biografia baseada em história real de Arlindo Barreto (o primeiro ator que viveu Bozo no Brasil) brilha ainda mais aos nossos olhos.

Bingo é um filme redondo. Excelente atuações, excelente história, excelentes atuações (são de aplaudir no fim do filme). É um filme que te deixa nostálgico, curioso, provoca boas risadas e o mais legal: deixa-nos emocionado.

De uma coisa é certa, ao sair dos cinemas após assistir a historia do ator por trás do palhaço Bingo, além da sensação de ter visto um ótimo filme brasileiro, tenho certeza que a curiosidade de ver vídeos antigos do palhaço, rei das manhãs, será inevitável.

Por Flávio Henrique

Bingo: O Rei Das Manhãs, estreia 24 de agosto de 2017 nos principais cinemas.


o-estranho-que-amamos-ameixa-japonesa

A grande estréia nos cinemas nessa semana é, sem dúvidas, o novo trabalho de Sofia Coppola, “O Estranho Que Nós Amamos”. Baseado no livro homônimo de Thomas Cullinan, escrito em 1966, o filme chega às telas de BH premiado com a melhor direção em Cannes 2017. E com um elenco que chama a atenção para si: Nicole Kidman, Kirsten Dunst, Elle Fanning e Colin Farrell.

Os filmes de Sofia Coppola são conhecidos e lembrados por colocarem em todos eles o olhar feminino sobre as situações em, sua maioria, sendo os papeis femininos os responsáveis por nos guiarem pela narrativa. Em “ O Estranho Que Nós Amamos” não é diferente. A diretora inverte a narrativa do livro e da primeira versão para o cinema de 1971 que é feita pelo soldado abatido e coloca as mulheres como narradoras da história. Mais uma vez é o olhar feminino de Sofia e de suas personagens os responsáveis pelas sensações passadas.

A história se passa em durante a Guerra Civil americana e vemos o dia a dia pra lá de bucólico e rotineiro de uma “escola para meninas”, situada no sul do país, ser gradativamente alterado com a chegada do estranho e instigante soldado ferido, que defendia os interesses do norte do país. A guerra serve de pano de fundo para a formação de uma atormentada bola de neve de tensão sexual entre essas mulheres e o soldado.

o-estranho-que-amamos-ameixa-japonesa-01

Impressões de Pierre Menezes sobre o filme…

Para quem está acostumado com o ritmo mais acelerado e uma extensa paleta de cores presentes nos outros filmes de Sofia Coppola, chega a ficar incomodado com a direção tomada nesse novo projeto. Tudo em “O Estranho Que Nós Amamos” é mais lento, demorado, contido. O recurso de pouca luz do casarão dita o clima que a diretora quer expressar. Com isso a fotografia do filme é espetacular e merece todos os elogios já recebidos.

Porém o roteiro (estou até agora pensando se gostei realmente do filme ou apenas em parte) demora a acontecer. O clímax do filme ocorre apenas nos últimos 20 minutos, o que leva ao incomodo mais pela demora dos acontecimentos do que pela adrenalina psicológica sexual que o filme pretende passar.

Essa tensão está lá o tempo todo. Seja pelo comportamento alterado dessas mulheres, pelas reais intenções do homem que aos poucos vai mudando a rotina pudica tanto das mulheres mais velhas, quanto das internas mais novas. Mas a curiosidade pelo que vai acontecer aos poucos vai sumindo devido a essa demora aos acontecimentos. Há uma repetição de situações desnecessária.

A direção precisa e ao mesmo tempo delicada de Sofia Coppola e as interpretações na dose certa de contenção e explosão do quarteto principal fazem de “O Estranho Que Nós Amamos” uma boa experiência de reflexão sobre os desejos repreendidos e as consequências das não realizações dos mesmos.

o-estranho-que-amamos-ameixa-japonesa-02

Flávio Henrique também conta suas impressões…

Escuro e lento é o que define o filme. Uma história tão interessante deveria ser retratada da mesma forma. Todo o alvoroço de um homem chegando numa casa com sete mulheres, eu esperava mais afrontas diretas entre elas. Por estar em uma crescente, as mudanças nas relações foram apresentadas sutilmente. Se apresentadas ao contrário, estas mudanças (com tretas mais evidentes e dramáticas) deixaria o filme mais empolgante no seu percurso.

No ápice do filme não ficaram claras as intenções das mulheres para com o hóspede na reviravolta final. Vingança, ou necessidade nestas intenções, para mim, ficaram escuras e indiretas como boa parte do filme. Fez-me avaliar o filme apenas como um filme mediano.

Confira o trailer!


A Wines of Argentina, entidade responsável pela imagem do vinho argentino, escolheu o data de 17 de abril para celebrar o Dia Mundial do Malbec. Para a alegria de nós, belorizontinos, o Cabernet Butiquim decidiu ampliar as comemorações! Até o final deste mês, o Cabernet Butiquim promove uma programação inteiramente dedicada ao Malbec, com uma seleção de pratos e petiscos especialmente desenvolvidos para harmonizações com a uva e uma seleção de rótulos comercializados na casa, para consumo em garrafas e taças individuais.

Foram selecionados ao todo 15 rótulos de vinhos Malbec, que vão desde bebidas mais simples até às mais sofisticadas, entre rosés e tintos. Os vinhos serão disponibilizados ao público tanto em garrafas quanto em taças, permitindo, assim, que os clientes possam degustar e conhecer variados estilos e produtores do vinho Malbec em uma visita ao Cabernet Butiquim. 5 dos rótulos estarão disponíveis diariamente em taça, 1 rosé e 4 tintos. Entre os vinhos selecionados há um inusitado: um Malbec chileno.

Para a preparação dos petiscos, a chef do Cabernet Butiquim, Janaína Batista Barrozo buscou na culinária argentina outros símbolos do paladar do país portenho, como ojo de bife, um corte de carne típico, que se caracteriza por ser muito tenro, a moela, a salsa criolla e o tempero chimichurri, que não poderia ficar de fora. Complementando a experiência, o cardápio ainda apresenta outra forte referência da culinária argentina, desta vez um doce: churros recheados com o autêntico dulce de leche. Recomendo todos os petiscos que estão participando dessa “temporada malbec”, são maravilhosos!

CABERNET-BUTIQUIM-AMEIXA-01

CABERNET-BUTIQUIM-AMEIXA-04
Terrine de fígado de aves com conserva de jiló

CABERNET-BUTIQUIM-AMEIXA-07

CABERNET-BUTIQUIM-AMEIXA-10

Ojo de bife, salsa criolla, batatas rústicas e chimichurri

 



 

FOTOS: OSVALDO CASTRO

 

Cabernet Butiquim

Bar e loja de vinhos

Endereço: rua Levindo Lopes, 12/22 – Savassi – Belo Horizonte – MG

Horário de funcionamento: terça a sábado, de 11h30 à meia-noite, e domingo, de 11h30 às 16h

Informações: (31) 3889-8799

Facebook | Instagram


BH Tattoo Festival começou ontem com inúmeras atrações para os amantes do universo da tatuagem, esta edição vai reunir mais de 400 personalidades do setor, entre tatuadores, body piercers, artistas plásticos, músicos e DJs. São esperadas cerca de 15 mil pessoas no evento.

Nessa edição, o evento ganhou maior amplitude e toma todo o espaço da Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro), incluindo o estacionamento, com uma programação extensa e muita inovação e diversidade cultural. Sábado e domingo, dias 8 e 9, o festival será aberto às 12h e encerrado às 2h da manhã.

Além da presença de tatuadores nacionais e internacionais, haverá três palcos para shows e  concursos, além de espaço kids, encontro de moto clube e cerca de 12 food trucks.

 GLR PWR

Ontem fomos conferir o 7o BH Tattoo Festival e a presença feminina chamou nossa atenção. O número de tatuadoras é bem maior que imaginava. Adoramos ver tanta mulher fazendo e acontecendo no BH Tattoo.

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa26

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa25

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa28

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa36

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa30

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa29

 

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa48

 

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa46

 

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa32

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa51

bh_tatoo_2017_ameixajaponesa54

 

Fotos: Osvaldo Castro

Mais de 40 horas de programação

A música eletrônica ditou o ritmo do primeiro dia de festival com DJs nacionais e internacionais. Já o sábado, 8, será um tributo aos amantes do ROCK e suas vertentes, com a estreia do festival de bandas BH TattooSonora, que selecionará quatro bandas que se apresentarão junto às convidadas Dead Fish, Cartoon, Pausa Para Tudo, Regali Blues Band, Gui Dub, André Muradas e Lucas Noctívago, em palco exclusivo. Além disso, o festival será pioneiro em BH ao promover o Encontro Nacional do Moto Clube Abutres, ao meio dia, no estacionamento externo do evento, com entrada gratuita.

Continuando a programação de sábado, às 16h, o Palco Portal Tattoo apresenta o concurso Miss BH Tattoo, cujo desfile e premiação elegem a bela que melhor representa a cultura da tatuagem. Esta edição do concurso, dentre outros profissionais de apoio, conta com a personal stylist Juliana Brasil, uma das principais referências em consultoria de imagem e estilo do país. Às 17h, no mesmo local, começará o Concurso de Tatuagem, desta vez, analisando as categorias Colorida, Comics, Oriental, Old School (Tradicional), Realismo e Preto&Branco. Às 21h30, será divulgado o vencedor da premiação de Melhor Tattoo de sábado.

A pluralidade musical continua com a voz das ruas e dos muros no domingo, 9, quando muito Hip Hop, Reggae, dentre outros estilos, invadirão o Palco 440 Hertz para embalar as cores do Live Paint, junto a outras intervenções artísticas surpresas. Já no palco Portal Tattoo, a partir das 17h, será a vez do Concurso de Tatuagem eleger as melhores artes das categorias Feminina, Portrait, Pontilhismo e New School. Às 21h30, serão premiadas as vencedoras de todas as categorias e divulgadas a Melhor Tattoo do Dia e a Melhor do Evento.

Serviço – 7ª edição do BH Tattoo Festival
Onde: Serraria Souza Pinto, à Av. Assis Chateaubriand, 809 – Centro
Quando: Dias 07, 08 e 09 de abril
Horário: sábado e domingo, entre 12h e 2h
Quanto: Lote promocional de 500 passaportes (acesso aos três dias) pelo preço popular de R$ 40,00 mais 1kg de alimento não perecível (exceto fubá e sal); ou meias-entradas diárias pelo valor de R$ 25,00 mais 1kg de alimento não perecível (exceto fubá e sal)
Informações – www.bhtattoo.com.br