Fim da espera. Saiu o line-up completo do Festival Planeta Brasil 2018, no dia 27/01/2018 no Mineirão em Belo Horizonte.

São eles: Phoenix, O Rappa, Soja, Vintage Culture, Anavitória, 1kilo, Gabriel, o Pensador (25 anos de carreira), Mayer Hawthorner, The Beautiful Girls, Zimun,  Graveola e O Lixo Polifônico, DV Tribo, Orquestra Atípica de Lhamas, Quarto Amado & Mais Dub Por Favor.

E mais, garantindo um diferencial no festival, a 7ª edição promove encontros inusitados como: Criolo e Mano Brow, Gabriel Elias e Mariana Nolasco, Oriente e Iza, Maneva e Tati Portella, Lagum e Gabriel Gonti.

Na arena eletrônica terá Cat Dealers, Chapeleiro, Ftampa, Devochka,  Manima, KVSH, Dirty Loud, Lothief, Ricci, Guido.

Vai perder?

Serviço:
7ª edição Festival Planeta Brasil – Belo Horizonte / MG;
Dia 27 de janeiro, Esplanada do Mineirão (Portão Sul);
5 palcos, +30 atrações nacionais e internacionais, 40 mil m², Food Market;
Vendas 1º lote – 16/11
Ingressos a partir de R$120
www.sympla.com/planetabrasil
Espaços:
- Pista
Acesso ao evento / Acesso aos palcos do evento / Classificação 16 anos;
- Pista Premium Open Bar
Cerveja, Vodka, Água, Refri, Suco e Citrus / Acesso à frente de palco nos Palcos Norte, Sul e HowDeep Stage / Entrada permitida apenas para maiores de 18 anos;
- Camarote Land Spirit Open Bar Premium
Whisky, Gin, Vodka Premium, Cerveja, Refri, Citrus, Suco, Água / Palco Exclusivo no Camarote / Pocket Show e Djs surpresa nos intervalos dos shows/ Espaço Exclusivo no Palco Norte e Palco Sul / Área Coberta / Entrada diferenciada / Lounges exclusivos / Acesso à pista / Classificação 18 anos.

Planeta-Brasil-2018-divulgacao


Gosto-Se-Discute-Divulgacao
O cinema brasileiro está em alta. Seja no nosso país, seja no exterior. A comédia nacional é uma das grandes responsáveis por atrair os brasileiros para o cinema na atualidade. É notória a mudança na comédia atual. Esta reciclada tem levantado a moral do gênero em todos os meios de comunicação.
Dia 09/11 estreia a comédia “Gosto Se Discute?”, com roteiro e direção de André Pellenz (Minha Mãe É Uma Peça), e, no elenco principal Kéfera Buchmann e Cássio Gabus Mendes. Paulo Miklos, Gabriel Godoy, Robson Nunes encabeçam o grande elenco.
A atriz e youtuber Kéfera (uma das principais youtubers que arrasta em suas aventuras milhões de fãs e admiradores) interpreta a personagem Cristina. A personagem tem a missão de gerir um restaurante juntamente com Augusto (Cássio Gabus) que está com seus dias contados como dono do empreendimento devido à pouca clientela.
O filme acerta ao misturar drama e um conteúdo de sequências e imagens de gastronomia. Palmas para a direção e edição do filme. Em contrapartida, o filme lida com um roteiro muito fraco. Previsível, o roteiro peca por apresentar uma comédia boba, imperceptível e com baixa intensidade. Somos salvos pelo drama.
Cássio Gabus é o grande destaque do filme. No entanto, a Kéfera se mostrou mais madura e preparada nesta obra em relação aos seus outros filmes. Motivo pelo qual ela alcança o título de destaque. As melhores partes da comédia ficaram a cargo dos atores coadjuvantes. Todos usaram perfeitamente o espaço que lhes foi dado. Dali saem os melhores momentos cômicos.
Então, não deixem de conferir nos cinemas o filme “Gosto se Discute?” Vale a pena. E como a Kéfera nos disse: vamos valorizar o cinema brasileiro.
Kéfera bateu um papo conosco. Falou de um assunto que devemos discutir.


Depois-Daquela-Montanha-Divulgacao

Quando você fica sabendo que o filme é de tragédia com pessoas presas, perdidas ou em apuros em lugares extremos já dá uma canseira na alma. Vontade de ver um filme de 2h assim é mais difícil ainda. Mas isto não acontece em DEPOIS DAQUELA MONTANHA, pode ficar tranquilo.

 

Baseado no best-seller de 2010, escrito por Charles Martin, o filme ganha poder com Kate Winslet (Alex) e Idris Elba (Ben) nos papéis principais e direção de Hany Abu-Assad. Eles contam a história de duas pessoas que nunca se viram, se encontram no aeroporto e se vêem na necessidade de fretar um avião para o mesmo destino para cumprir seus compromissos após o cancelamento do seus vôos. O piloto sofre um ataque cardíaco e o avião cai em meio a montanhas e neves. O desafio é tentar sobreviver em meio a tantas adversidades e voltarem às suas vidas normais.

 

Os protagonistas mostram firmeza e autenticidade em suas interpretações. São eles os os pontos altos do filme. Eles fazem a história crescer. A dosagem de suas interpretações diminui a responsabilidade de ter uma história centrada apenas em dois personagens. Kate vem de uma sequência bem interessante de filmes. Neles ela tem se destacado e entrado em gêneros diferentes. Falando nela, reparem o tanto que ela está parecida com a Madonna. Seria semelhança mesmo? Ou mesmo cirurgião? Ou mesmos cosméticos? (segundo filme que ela me chama atenção pelo mesmo motivo)

 

A direção é bem certeira ao mesclar imagens lindas das geleiras, com o drama da situação e momentos passados de cada personagem. Isto deixa o filme com um ritmo mais agradável. Mesmo o diretor não sendo tão conhecido e experiente em Hollywood, ele conseguiu fazer um filme digno de vários superlativos. Um drama de encher os olhos, literalmente.

 

É um super filme, ágil, envolvente e muito bem costurado. Não há cenas sobrando ou que são cansativas, como acontecem com Náufrago e O Regresso. Vale o ingresso para conhecer esta história.

 

 


oformidavel

Ser formidável 24 horas por dia deve cansar e ser muito trabalhoso. Talvez por isso ninguém o seja em sua essência. Nem mesmo os grandes ídolos do cinema, atores ou diretores passam por essa vida sendo perfeitos e agradando a todos. Nem mesmo Jean-Luc Godard, ícone supremo da nouvelle vague, revolucionário do cinema nos anos 60, ficou imune a isso em O Formidável, novo filme de Michel Hazanavicius (O Artista), que estréia hoje nos cinemas.

Baseado no livro Um Ano Depois, de Anne Wiazemsky, atriz e ex-mulher de Godard, o filme retrata justamente a relação dos dois, ela, com 19 anos, estrela de A Chinesa, novo filme de Godard, na época com 37 anos. Não é apenas um filme de amor. Nas mãos de Hazanavicius, O Formidável também é uma homenagem ao cinema, assim como O Artista. Com uma pegada mais leve, a intenção é desmitificar Godard e apresentá-lo como um ser altamente arrogante, impositor de seus pensamentos e, em certo grau, extremamente mimado. Aos olhos de Anne, aquele homem charmoso, inteligente que a conquistou, com o tempo se tornou uma presença insuportável de convivência.

A importância de Godard para o cinema está acima de qualquer critica. A sua direção revolucionária com seus planos sequências, a capacidade de improvisação durante as filmagens ainda com o roteiro sendo escrito servem até hoje como inspiração. Em O Formidável vemos um Godard já cansado de tudo que já tinha feito e em certo momento renega seus feitos. Estamos em 68 e a França passa por transformações políticas. Com idéias maoístas, Godard quer fazer parte dessa nova revolução e acredita que precisa estar nas ruas retratando um novo tipo de cinema.

Porém, a luta interna com o seu modelo de vida burguês e a incapacidade de conversar com esses jovens que estão na rua, que até então o vinham como o diretor de filmes comerciais, o tornam ainda mais ácido em relação a tudo e a todos. Godard já não consegue ser ouvido como porta-voz de uma geração e isso para uma mente brilhante e ao mesmo tempo egocêntrica não é fácil digerir.

O trabalho sensacional de Louis Garrel (Godard) e Stacy Martin (Anne) tornam a realização de O Formidável ainda mais agradável nas mãos de Michel Hazanavicius. A desconstrução do mito por meio de um ar de comedia torna a convivência do casal suportável aos nossos olhos. A metalinguagem muito bem introduzida no filme por Hazanavicius, como a sobreposição das vozes, o olhar direto dos atores para a câmera, os diálogos ácidos e cheios de cutucadas às técnicas usadas pelo cinema para surpreender o público deixam o filme riquíssimo em detalhes e principalmente no ritmo da narrativa.

Se não fossem por esses recursos e pela entrega dos atores, os fãs mais afoitos por Godard que me perdoem, mas O Formidável seria um porre de assistir, assim como deve ter sido por um período a convivência de Anne com Godard. Ser um gênio tem lá os seus percalços e seus vacilos, que nem sempre eles mesmos os enxergam. É um filme formidável.


O Ameixa Japonesa junto com a Santa Amália quer comemorar em grande estilo o dia do macarrão com uma receita fácil, barata, rápida e tão gostosa que você nem acredita quando prova!

O chef Pierre Menezes, do Cozinha Social Club, fez um vídeo com o passo a passo da receita, usando, claro, a massa integral Santa Amália para deixar tudo mais gostoso.

Veja como é fácil surpreender na cozinha:

Gostou? Inscreva-se em nosso canal no YouTube! Vamos recheá-lo de novidades!

​Fusili al Limone​ 

Ingredientes:

​2​ limões  ​

1 pacote de 100g de queijo parmesão processado fino ​

2 colheres de sopa de azeite​ ​

1 ​caixinha ​de creme de leite

sal a gosto ​

250 g​ de fusili integral Santa Amália

Essa quantidade serve duas pessoas, se preferir, dobre ou triplique as quantidades)

Modo de fazer:

Em uma vasilha misture o suco de um limão, o queijo, o creme de leite e o azeite.​ Misture até ficar homogêneo. Prove e verifique se é preciso colocar um pouco mais de limão, para ficar mais azedinho, ou de azeite, que corta um pouco a acidez. Leve ao congelador por até 5 minutos, ou enquanto cozinha o macarrão. Cozinhe a massa conforme as instruções da embalagem, escorra. Prove o molho, acerte o sal, se necessário, e misture na massa ainda quente. Sirva imediatamente.

​Ótimo para acompanhar filé mignon ou frango grelhado.

Opcionais: 

Você pode incrementar o molho das seguintes maneiras:

- misturando manjericão, salsinha ou cebolinha​​

-​ adicionando raspas de limão ​na hora de servir

- substituindo o limão comum por limão siciliano

- acrescentando pimenta do reino (preta ou branca) moída na hora