Foto – Fabiola Volponi

Fivo (Felipe Volponi) é um artista plástico de Belo Horizonte que está com uma belíssima exposição de pinturas e instalações chamada JARDINS, na Casa do Baile, na Pampulha, até o dia 21 de outubro, com entrada gratuita. Ele é o artista destaque da atualidade na cena artística da capital mineira. Atencioso, acessível e bem-humorado, Fivo recebeu na Casa do Baile a Ameixa Japonesa para um papo descontraído no qual ele contou sobre sua arte, carreira e exposição. É só chegar e descobrir mais sobre o Fivo e seus Jardins.

ACEITAÇÃO DO PÚBLICO

Passaram mais de 900 pessoas na Casa Do Baile para ver a exposição Jardins. “O feedback está bem positivo”, disse Fivo extremamente contente.

Famosos também têm se encantado pela arte do Fivo, como Bethy Lagardère (socialite e ex-modelo de sucesso),  Olivier Anquier (chef de cozinha e apresentador de tv), Pedro Andrade (apresentador de TV no Brasil e nos Estados Unidos), Déa Lúcia Amaral (mãe do ator Paulo Gustavo) e muitos outros.

COMO TUDO COMEÇOU

A arte na vida do Fivo começo quando criança. Ele foi ator de musical, fez comerciais de TV e já teve banda de rock. Nesta fase ele arriscava alguns desenhos. No entanto, era apenas um hobby. Virou profissão quando notou que as pessoas estavam interessadas e notando algo de diferente no que ele fazia. Fez faculdade de Design de Interiores, idealizava sua profissão nos Campanas, irmãos reconhecidos mundialmente por seus design-art em móveis. Seus sonhos tomaram outros rumos.

INSPIRAÇÕES

Todas suas inspirações afloram em torno de suas emoções. A principal inspiração do Fivo é a sua avó, Julia Volponi, que sempre esteve envolvida com arte, tocando piano e pintando. Emocionado, Fivo contou que sua avó desenvolveu câncer. Para retribuir os cuidados que sua avó sempre teve com ele, largou os estudos e o estágio para dedicar-se a ela, por 7 meses. Neste período, em meio a noites e dias sem dormir, ele começou a pintar. Isto aconteceu de forma natural e o incentivou a estudar sobre a arte. Fivo é um artista nato e autodidata. Identificou neste período os artistas, obras e traços que mais o interessavam. Começou a estudá-los e a experimentar seus próprios traços. Fivo pintou uma Vênus ao seu modo. Da Vênus surgiu a sua assinatura. Usou recortes e estampas na sua tela. As estampas pintadas são inspiradas nas vezes em que via sua avó costurando. Ali sentiu que tinha jeito para a pintura. Dos grandes artistas, suas inspirações e admirações vêm de Cândido Portinari e Yara Tupinambá.

COMO O FIVO DEFINE SUA ARTE

“Eu não sei. Eu não acho que minha arte deva ser rotulada”, disse o Fivo. Uma característica que prova isto é a falta de data em suas obras. Se as pessoas definirem suas obras como Pop Art ou qualquer outra definição, ele aceita. O que ele mais preza e afirma como uma  definição de sua arte é a identificação da pessoa com sua arte. É a pessoa ver a sua obra e se identificar naquele contexto, naqueles traços, naquelas histórias pintadas.

Fivo escolhe a pintura como a melhor forma de arte para se definir.

EXPOSIÇÃO JARDINS

divulgacao-jardins-fivo

JARDINS é a terceira exposição do artista Fivo. A atual exposição é composta por pinturas de jardins que ele vivenciou das pessoas que já passaram por sua vida. São telas inspiradas no jardim da avó, das tias, da professora, de amigos e até mesmo um inspirado em Star wars, jardim que ele idealizou e no qual gostaria de ter estado. São 10 jardins em 10 telas, 2 réplicas de telas do seu próprio trabalho, que foram vendidas mas se fazem necessárias para completar a exposição, e uma instalação. A instalação constitui-se de várias esculturas pequenas que formam um jardim.

É notório nos trabalhos da exposição o uso da cor prata nos contornos de cada elemento retratado. Fivo contou que é um fio de emoção, que é a retratação da sua memória, que leva aquilo para o surreal, como uma ideia, como a alma da lembrança.

A escolha da Casa do Baile para expor suas obras deveu-se à estreita relação dos Jardins com o visual da Lagoa da Pampulha e com o próprio jardim do espaço. Ainda, Fivo privilegia uma opção de se ver arte fora dos nichos Centro e Savassi.

PREFERIDAS PELO FIVO

Sem pensar muito, Fivo escolhe a tela “Jardim de Lino e Noca”, seus bisavós, como preferida. Ele não a considera a mais bonita, mas a considera muito especial. Motivo pelo qual é a única que ele não venderá. Ele escolheu a tela “Jardim de Ione” como a obra que melhor expressa o seu trabalho.

 

PRÓXIMA EXPOSIÇÃO EM 2018

Intitulada como “Erat Olim”, que significa “era uma vez” em latim, Fivo mostrará o universo dos contos de fadas. Fivo promete uma exposição interativa. Além de ver as obras, as pessoas poderão tocar e até mesmo conversar com algumas delas. A exposição “Erat Olim” ainda não tem data definida, mas Fivo afirma que está trabalhando no novo projeto e que em 2018 todos poderão desfrutá-lo.

Seus trabalhos estão à venda e caso a pessoa se identifique com uma pintura e queira comprá-la, basta entrar em contato com o próprio Fivo nas suas redes sociais, e buscar o trabalho ao final da exposição.

SERVIÇO:

Exposição Jardins

Até dia 21 de outubro

Artista: Fivo

Contato do Fivo: perfil do instagram @fivolponi

Onde: Casa do Baile

Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 751 – Pampulha, Belo Horizonte

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h.

ENTRADA GRATUITA


Como não morrer de amores por uma sobremesa tão colorida? Nossa sugestão para o Dia das Crianças é a Gelatina em Camadas. Aprenda agora!

GELATINA CAMADASIngredientes

1. 7 pacotes de Gelatinas Santa Amália de sabores e cores diferentes
2. 4 e 1/2 xícaras de água fervente
3. 4 e 1/2 xícaras de água fria
4. 350 ml de creme de leite

Como Fazer

1. Unte uma forma de aproximadamente 23 x 33 cm, preferencialmente de vidro transparente.
2. Dissolva um pacote de gelatina em 3/4 de xícara de água fervente. Junte mais 3/4 de xícara de água fria e misture. Despeje no refratário e leve à geladeira até firmar (aproximadamente 45 minutos).
3. Dissolva outro pacote de gelatina em 1/2 xícara de água fervente. Junte 1/2 xícara de água fria e 1/2 xícara de creme de leite. Despeje sobre a primeira camada (já firme) e leve à geladeira por mais 45 minutos para firmar.
4. Repita os passos 2 e 3 acima com cada uma das demais gelatinas, sempre alternando uma camada sem creme de leite e outra com creme de leite.
5. Ao final, leve à geladeira até firmar bem e sirva.

Dica:

Decore com chantilly antes de servir.

 

Receita fornecida pela Santa Amalia. Para aprender mais, visite o canal da marca no youtube!


entreirmas1

*Por Fabrício Horta

Há riqueza nas histórias brasileiras, e estas devem sempre ser contadas pelo nosso cinema. Dentre as histórias que aguçam a curiosidade do espectador está a do cangaço, um faroeste nordestino cheio de reviravoltas e fatos inusitados. Quando Breno Silveira, diretor do filme Entre Irmãs, que estréia hoje nos cinemas, se propõe a contar a história de Emilia (Marjorie Estiano) e Luzia (Nanda Costa), uma adaptação do livro A Costureira e o Cangaceiro, de Frances de Pontes Pleebes, somos presenteados com a mitologia do sertão na forma destes justiceiros, os verdadeiros Robin Hoods do Sertão.

Neste cenário, de muita pobreza e do coronelismo no nordeste brasileiro dos anos de 1930, começa a trajetória das duas irmãs. Órfãs, criadas pela tia numa cidade mergulhada na seca, elas fazem seus planos para um futuro, mesmo que ninguém acredite que elas possam realizá-los. A tia desde cedo lhes ensina um ofício, o de ser costureira, e este ofício une as irmãs em suas jornadas.

O filme seria incrível se não fossem as mais de duas horas e meia de história. A linha de costura que unem as duas irmãs se perde em tantas alegorias, histórias secundárias e uma falta de edição de cenas. Fica evidente que se tem muita história a se contar, talvez uma minissérie coubesse melhor para Entre Irmãs. Quando chega o grande clímax do filme já estamos doidos para sairmos da sala de cinema. Realmente uma pena.

Mas há momentos primorosos no filme. A fotografia certeira é uma delas. Os tons de terras para os momentos de Luzia e seu bando no sertão pernambucano em total contraste com os tons mornos, calmos de Emilia na sociedade recifense. Tais contrastes nas cores das vidas que ambas decidiram viver não conseguem maquiar ou iludir o que tinham entre elas: uma ligação além das escolhas. Mesmo por caminhos tortuosos e diferentes, ambas as irmãs fizeram o mesmo trajeto.

Emília e Luzia escolheram qual tipo de passarinho queriam ser: o livre ou o que vive na gaiola. Assim como a prisão, a liberdade tem seu preço. Ambas as escolhas tem dores e alegrias. Há crescimento e amor em meio ao sertão, como também há dor e tristeza na liberdade enclausurada de uma vida de princesa. Nem sempre o príncipe encantado estará aonde imaginamos. Vale conferir.


beaga-dia-das-criancasQuinta-feira, 12 de outubro, feriado e… Dia das Crianças! Quer data mais alegre do que essa? E pra movimentar as melhores horas do ano da garotada, seguem dicas de lazer que vão rolar aqui mesmo, em BH. Confira e encha esse dia com muita diversão!

Vitrine Cultural e Gastronômica

Até 29 de outubro

Cultura, espetáculos, aprendizado e orientações sobre alimentação saudável. É o que oferece a primeira edição do projeto Vitrine Cultural e Gastronômica em Minas Gerais. O projeto visita parques de Belo Horizonte com uma programação gratuita de peças de teatro, workshops de gastronomia com chef de cozinha e oficinas para a criançada aprender truques da culinária. Veja a programação completa.

Semana das Crianças no SESI – Museu de Artes e Ofícios

Até 15 de outubro

Oficinas de técnicas de animação, de origami, atividades com biscuit, além de brincadeiras para grupos, como Desafio da Memória e Jogos Africanos, colagem e desenhos. Maurício Trindade, contador de histórias, vai fazer a leitura do livro ABC do Museu, de Soraia Vasconcelos. Os textos fazem referência às peças em exposição, aos ofícios, explorando seu rico acervo como instrumento educativo. Todas as atividades são gratuitas. Confira o roteiro.

Museu dos Brinquedos

Até 20 de outubro

Patrocinado pela Cemig, Instituto Unimed-BH e Mercantil do Brasil, através das Leis de Incentivo Federal, Estadual e Municipal, o espaço se preparou para um outubro cheio de brincadeiras, shows e oficinas circenses e ainda atividades culturais nas ruas de BH e Betim. Muita diversão num lugar mágico: as crianças vão adorar! Confira a programação.

 

Roteiro Cultural

O feriado inteiro

Além dos vários eventos que acontecerão em BH e região dedicados ao Dia das Crianças, dê também uma olhada na programação de filmes nos cinemas e de peças teatrais nas casas de espetáculos. Existem ainda muitas opções em outros museus, com exposições e mostras. Os shoppings costumam organizar roteiros especiais para a data, assim como os parques e demais espaços públicos.

Enfim, vá pra rua, vasculhe a cidade e divirta-se com suas crianças: tem muita coisa boa pra fazer!

 


Liniker e Os Caramelows 01_Foto - t

É no dia 20 de Outubro que a Festa Agosto vai trazer Liniker e os Caramelows para um baile luxuoso, no Mercado Distrital do Cruzeiro em BH, a partir das 21h. A festa promete muita agitação, música boa e shows incríveis. Liniker e os Caramelows farão um show esbanjando musicalidade com uma banda de primeira e uma voz poderosa. A Festa Agosto terá ainda shows com Arthur Melo, que levará como convidado o Teago Oliveira (Maglore – BA), Dj Zubreu, Zero (RJ) e os Tambores de Ifá.

A oportunidade é perfeita para ver a Liniker, que este ano participou do Rock In Rio no show do Johnny Hoocker, cantando seus inúmeros sucessos contemporâneos e empoderados. Assim como conhecer, rever e/ou escutar os outros shows num dos mercado mais interessante e diversificado de Belo Horizonte.

FIQUEM LIGADOS NO NOSSO SORTEIO

O Ameixa Japonesa fará um sorteio de 1 (um) par de ingressos para a Festa Agosto. Entre no nosso perfil do Instagram, procure a foto oficial e as regras de participação. Boa sorte e bom baile!

Serviço:

Festa Agosto:

 Liniker e os Caramelows

 Arthur Melo convida Teago Oliveira (Maglore – BA)

 Zero (RJ), Dj Zubreu e os Tambores de Ifá

Sexta, 20 de outubro, 21h

Local: 

DISTRITAL – Mercado Distrital do Cruzeiro – Rua Opala s/n° – Cruzeiro
Referência: ao lado da universidade FUMEC.

Ingressos :

LOTE PROMO 1 – R$ 25,00
1º LOTE – MEIA – R$ 30,00 / 1º LOTE – INTEIRA – R$ 60,00
2º LOTE – MEIA – R$ 35,00 / 2º LOTE – INTEIRA – R$ 70,00
3º LOTE – MEIA – R$ 40,00 / 3º LOTE – INTEIRA – R$ 80,00
4º LOTE – MEIA – R$45,00 / 4º LOTE – INTEIRA – R$ 90,00

Venda Online: www.sympla.com.br

Pontos de venda:

Laicos – R. Ceará, n 1580, Savassi

80 Bar – R. Paraíba, n 1338, Savassi

DISTRITAL – Mercado Distrital do Cruzeiro

Classificação 18 anos