AMEIXA-TESTOU-FINA-FLOR

No finalzinho do ano passado a Fina Flor lançou a linha de Transição Capilar. Recebemos o kit completo e depois de um mês de uso vamos mostrar tudo pras cacheadas e pra quem só quer cuidar mais dos cabelos. Spoiler: a experiência foi muito boa. ;)

Fiquei dois anos sem química no cabelo, mas só em agosto de 2016 tive coragem de fazer o bc (big chop) e tirar todo o resto de progressiva que ainda tinha por aqui. \o/ Melhor decisão da minha vida. Durante a transição já cuidava bastante do meu cabelo, mas a partir do corte esse cuidado aumentou. Já havia ouvido falar bem da linha Transição Capilar da Fina Flor, agora que experimentei posso falar com propriedade, é um ótimo caminho para as cacheadas, gostei muito.

Recebi os produtos há cerca de um mês. O kit conta com shampoo, condicionador, máscara base, creme para pentear, finalizador, óleo de coco e três aditivos: hidratação, nutrição e reconstrução (foto abaixo). Aqui já falamos sobre porosidade dos fios e qual a função de cada aditivo.

JOANA-FINA-FLOR-00

Todos os produtos são livres de petrolatos, silicones, parabenos, sulfatos e EDTA. Demais, não?


Eu não fazia cronograma capilar (cc), mas esse foi um incentivo grande para eu começar, meu cabelo tava precisando e no kit tem tudo o que você precisa para seguir o cc e mais esse explicativo.

JOANA-FINA-FLOR-04

Percebi diferença no meu cabelo no primeiro uso. O shampoo proporciona sensação de cabelos lavados (passei três vezes), mas deixa o cabelo hidratado, o que é ótimo. Fiz tudo como manda o figurino, hidratação na primeira lavagem e condicionador pós creme de tratamento.

Para finalizar o creme de pentear <3

Gostei bastante da textura do creme de pentear, não é pesado e deixa o cabelo finalizado na medida que gosto. Quando começa secar fica com efeito molhado (uso uma quantidade grande por gosto pessoal), mas em seguida, após o ritual para tirar o efeito molhado – colocar um pouco de óleo na palma da mão e passar as mãos sob os cabelo – meu cabelo ficou LINDO. Tenho pouco volume no dia em que lavo :/, mas com o finalizador da linha de transição meu cabelo ficou num volume e textura muito bons. Super ponto positivo.

Não lavo meu cabelo três vezes na semana, como é sugerido no cronograma, gosto do meu cabelo nos dias pós lavagem (cada cacheada com suas manias), por isso ainda não fechei um mês de cronograma. No entanto, o cabelo muda ao menor sinal de bem cuidado e isso aconteceu com o meu. Ele está visivelmente hidratado e com cachos mais definidos (quem não gosta de cachos muito definidos, sugiro usar uma quantidade menor de creme para pentear).

Dica: tenho amigas de cabelos lisos que usam os shampoos e cremes de tratamento da linha de transição e adoram os resultados também.

1º Day after

Cabelo no day after é tudo de bom, o volume é maior e o corte aparece mais. Dá pra ver que o cabelo tá bem hidratado e macio. Tô muito feliz com esse aspecto saudável dos cachos. Fina flor tá super aprovado!

 JOANA-FINA-FLOR-01

 

 

2º Day after

Fui a uma festa e não precisei mexer em nada no cabelo. Sem friz e não usei o finalizador, saí como estava <3.

JOANA-FINA-FLOR-03

 

 

 

3º Day after

Muito amor por esse volume e praticamente nenhum frizz <3.

JOANA-FINA-FLOR-02

 

 

Preço do Kit Linha de Transição Capilar Fina Flor: R$ 149

Está na transição ou já passou por ela? Conta pra gente os seus produtos preferidos! Testou Fina Flor? O que achou?


casa-rio-verde

Que tal começar o ano aprofundando seus conhecimentos sobre o vinho, bebida cada vez mais popular na mesa dos brasileiros? A Escola de Vinhos da Casa Rio Verde abriu inscrições para três edições do curso “Iniciação ao Mundo do Vinho”, em janeiro.

Duas edições acontecem durante a semana: de 23 a 25/jan e de 30/jan a 1/fev. São três horas de aula/dia, totalizando nove horas de curso. Para quem prefere fazer o curso no final de semana, haverá uma turma no sábado, dia 28 janeiro, também com 9 horas de duração.

O curso abrange informações teóricas como tipos de uva, regiões produtoras, dicas de harmonização. Na parte prática, são degustados 12 rótulos, cada um de um estilo de vinho. As aulas acontecem na sala de treinamento da loja da Praça Marília de Dirceu, 104, bairro de Lourdes.

A novidade é que agora, além das lojas da Casa Rio Verde e do telefone 3116-2301, o interessado pode fazer a inscrição pelo site, no link www.vinhosite.com.br/vinhos/curso .

SERVIÇO – CURSO DE INICIAÇÃO AO VINHO – CASA RIO VERDE – JANEIRO
Turma 1 – 23,24 e 25 de janeiro (19 às 22H)
Turma 2 – 28/janeiro (9 às 19h)
Turma 3 – 30,31/jan e 1/fev (19 às 22h)
Carga horária: 9 horas
Degustação: 12 rótulos de diferentes estilos
Local: Casa Rio Verde – Praça Marília de Dirceu, 104 – Lourdes
Valor do investimento: R$ 299 por pessoa (capacidade 18 pessoas) – sócios do VinhoClube da Casa Rio Verde pagam R$209,30.
Inscrições e informações: www.vinhosite.com.br/vinhos/curso
Telefone: (31) 3116-2300


escape02

Imagine a seguinte situação: você foi preso por um assassinato que não cometeu e, por isso, será executado em uma cadeira elétrica. Ninguém acredita na sua inocência, e a única solução para escapar da morte é desvendar pistas, dentro do período de até uma hora, que te levarão à liberdade. Essa até parece ser a história do Lincoln Burrows, um dos protagonistas da série americana de televisão “Prision Break”, ou mesmo a sinopse de um filme de aventura. Mas, na verdade, o enredo faz parte da sala de fuga Alcatraz, escapada impossível”, um dos três ambientes da Escape Time BH, empresa especializada em jogos de fuga que chega a Belo Horizonte na hoje, dia 11 de janeiro, data da abertura oficial da casa.

A Escape Time BH tem três salas de fuga com games com duração de uma hora e podem ser jogados por grupos de três a dez pessoas. O jogo é coletivo, e, por isso, o sucesso de um dependerá da habilidade de todo o grupo. Caso os participantes consigam desvendar o mistério e escapar da sala em até uma hora, eles ganham um prêmio que varia de acordo com o tema de cada sala. No entanto, se os jogadores não encontrarem a solução para a liberdade, a condenação à morte é inevitável, e eles levam para casa um atestado de óbito. Conheça os desafios de cada sala:

  • Alcatraz, escapada impossível

Na manhã de 12 de junho de 1962, três detentos fugiram da prisão Federal de Alcatraz, em São Francisco, nos Estados Unidos: os irmãos John e Clarence Anglin e Frank Morris, considerado o mentor do plano. Usando uma colher para cavar a grade do duto de ventilação da cela eles despistaram os guardas com cabeças feitas com páginas de revistas e perucas nas camas.

Mesmo jurando ser inocente por um assassinato, você foi acusado e sentenciado à morte na cadeira elétrica. Em uma hora, a sentença será executada na prisão mais segura do mundo, Alcatraz. Mas existe uma esperança. Seguindo as pistas deixadas pelos três fugitivos, você conseguirá sair da prisão. Encontrar a saída depende só de você!

  • Pânico no Expresso do Oriente

Você está de férias em Londres com seus amigos e familiares e decide fazer a viagem do Expresso do Oriente que vai de Londres a Istambul, uma aventura definitivamente inesquecível que cruza por quase toda a Europa. Logo após embarcar, você descobre que um terrorista colocou uma bomba no trem, com um dispositivo de geolocalização que fará com que se exploda quando entrar na estação de Budapeste. Sua missão é parar o trem e evitar uma catástrofe na estação de maior movimento da Europa. Detalhe: o maquinista desapareceu.

  • Quarto 66 e os segredos dos templários

Você acaba de herdar um hotel de um parente muito distante que morreu misteriosamente, há mais de 70 anos, no quarto 66. Ao chegar no hotel, descobre que seu parente era um milionário excêntrico com estranhos hábitos e cercado de mistérios. Dizem que o Sr. Bernand de Clairvoux era guardião de um grande tesouro dos cavaleiros templários. Mas existe um problema: o Hotel Bertam será demolido em uma hora. Esse é o tempo que você tem para tentar descobrir o mistério e talvez resgatar o tesouro. Se você falhar, ficará preso e morrerá no mesmo lugar que seu parente desapareceu. Desejamos a você muita sorte, pois você vai precisar. De todos que tentaram encontrar o tesouro, nenhum obteve sucesso em sua busca.

Treinamento Corporativo

Com o objetivo de oferecer às empresas uma forma totalmente inovadora de treinamento e desenvolvimento corporativo, a Escape Time BH é uma franquia de jogos de fuga, já consolidada em cidades como São Paulo. Diferentemente de outras empresas do ramo, a Escape Time utiliza do entretenimento para que os colaboradores de uma corporação testem seus limites por meio do trabalho em equipe, do raciocínio lógico e da resolução de problemas em um tempo hábil através de um jogo.

A grande novidade da Escape Time BH é contar com o trabalho de uma psicóloga que poderá fazer análise de perfil e desempenho dos participantes dentro da sala, oferecida ao público corporativo. Empresas como a GE Motors e a Tetra Park são exemplos de corporações que utilizaram os serviços da Escape Time para treinar seus colaboradores.

Funcionamento

As salas de fuga da Escape Time funcionarão todos os dias da semana, inclusive aos domingos e feriados. O horário de funcionamento para o público em geral é de 13h às 21h. Já para as empresas que desejam contratar os serviços da Escape Time poderão contar com horários de funcionamento flexíveis, inclusive, no período da manhã

O agendamento dos jogos pode ser feito por meio do site da empresa (escapetime.com.br), em que os participantes poderão marcar o melhor horário para participar. Podem participar das atividades pessoas acima de 14 anos, ou crianças com mais de oito anos acompanhadas pelos responsáveis legais.

O valor da experiência é de R$ 69 durante a semana, e R$ 79 aos fins de semana. Crianças,  estudantes com comprovante de escolaridade e idosos têm direito à meia-entrada.

 

Serviço

Escape Time BH chega à capital mineira

Abertura oficial: 11 de janeiro (quarta-feira)

Funcionamento: 13h às 21h (público geral) e horários flexíveis (público corporativo)

Valor do ingresso: R$ 69 (dias durante a semana) e R$ 79 (fins de semana)

Informações: escapetime.com.br

 

 


Prototipo Bar Cervejas ArtesanaisO Protótipo Brew é uma nova aposta dos sócios empresários Lucas Zacharias e Angelo Gabriel, que prometem lançar mais três rótulos originais da marca em 2017. (Foto: Mariela Guimarães)

 

Depois de oito meses no mercado funcionando como estabelecimento especializado na comercialização de cervejas artesanais e em gastronomia americana, o Protótipo Bar entra 2017 lançando sua marca própria de cerveja artesanal, o Protótipo Brew.

O primeiro rótulo da marca ganha o nome Santê, um carinhoso apelido para o boêmio bairro de Santa Tereza, no qual o bar está localizado.

A Santê é uma cerveja produzida nas modernas instalações da cervejaria Verace através do modelo conhecido como “cigana”, aquela cuja fabricação é terceirizada.

prototipo-cerveja-01

Cerveja Santê – Juicy IPA (Foto: Denilton Dias)

 

O rótulo pertence ao estilo Juicy IPA e tem receita original desenvolvida em parceria com o cervejeiro e amigo da dupla, Álvaro Mafra. De acordo com Lucas, o estilo “Juicy” remete ao corpo cremoso e macio da cerveja, obtido por meio da mistura dos fermentos clássicos da West Coast e da New England IPA. Os lúpulos Citra, Amarillo e Vic Secret criam um sabor explosivo de frutas cítricas e tropicais.

Com teor alcoólico de 7% do volume total, a cerveja Santê não é como os tradicionais produtos deste segmento, que após vários testes, chegam uma ideia de perfeição em uma versão final. “Ela é um protótipo em edição limitada para amantes de cerveja. Cada receita será produzida e comercializada por apenas um trimestre”, destaca Lucas.

A bebida será comercializada em duas versões: em garrafa de 500ml e em barril de chope e será vendida nas principais lojas especializadas de Belo Horizonte.

O Protótipo Bar fica em um descolado terraço de uma galeria, no bairro Santa Tereza, à rua Galba Veloso, nº 206, 2º andar. A casa possui capacidade de atendimento limitada a 140 clientes, motivo pelo qual é interessante chegar no início da noite.

 


circuito-cultural-praça-da-liberdade-ferias

Os espaços do Circuito Liberdade oferecem uma programação especial a partir dessa semana. São diversas atividades, para crianças e adultos, como oficinas, espetáculos teatrais, contação de histórias, além da programação permanente dos espaços.

No CCBB-BH estreia, no dia 4 de janeiro, uma curta temporada da peça “Aprendiz de Feiticeiro”. O espetáculo conta a história de Arthur, um jovem, dono de uma extensa imaginação, além de ser um ótimo aluno, mas que sofre bullying na escola. A vida do garoto muda quando ganha um celular com poderes mágicos, ele é então transportado para o passado, começa assim uma grande aventura cheia de criaturas mágicas, como bruxas e vampiros.

Segundo o diretor do espetáculo, Eduardo Figueiredo, “O Aprendiz de Feiticeiro” é para toda família, agrada crianças e adultos. Cheio de surpresas, mágicas, bonecos, efeitos de luz, o espetáculo vem sendo um sucesso de público e crítica, são inúmeros pedidos de apresentações nas redes sociais. “Uma curiosidade sobre a temporada foi a presença de pessoas adultas sozinhas assistindo o espetáculo e adorando. Isso me surpreendeu! Tenho certeza que iremos repetir o sucesso de São Paulo nesta curta temporada em Belo Horizonte”.

No Espaço do Conhecimento da UFMG, o Planetário tem de terça a domingo, quatro sessões diárias que exploram temas como o céu de Belo Horizonte, as narrativas do escritor inglês William Shakespeare e a importância do uso consciente da iluminação. O museu preparou ainda várias oficinas, como “Coleção de estrelas”, em que os participantes receberão mapas estrelares para criarem suas próprias constelações, além de uma discussão sobre os mitos, lendas e histórias envolvendo a temática.

No MM Gerdau Museu das Minas e do Metal, dia 17 de janeiro, das 13h às17h, acontece a oficina em que os participantes poderão confeccionar seus próprios equipamentos para fazer bolhas de sabão gigantes. Já na oficina “Desenhando o Patrimônio”, no dia 18 de janeiro, das 13h às 17h, os visitantes poderão ilustrar os principais patrimônios históricos e geológicos brasileiros e mundiais através de técnicas de desenho.

O setor Educativo da Casa Fiat de Cultura também preparou uma série de atividades para toda a família no Ateliê Aberto. “No período de férias o Ateliê permanece aberto como uma oportunidade para que toda a família participe junta das atividades. O objetivo é contribuir para que os visitantes tenham múltiplas experiências por meio da arte, em um espaço colaborativo onde é possível ensinar e aprender de maneira livre e lúdica”, diz  Clarita Gonzaga, coordenadora do Programa do Educativo.

Veja a programação completa: circuitoculturalliberdade.com.br