10734262_344262552421345_7322113431647710907_n

Fazer um festival de fotografia divertido, questionador e popular. Essa é a intenção dos integrantes do coletivo Erro 99 que estão na luta para conseguir viabilizar o Festival Erro 99 – Fotografia Sem Limites, via financiamento coletivo. A ideia é levar a fotografia para a rua e, com muito bom humor, diminuir a distância entre o público e a arte.

O coletivo Erro 99 ( se você também está curioso com esse nome como a gente ficou, aí vai a explicação. Erro 99 é um código da câmera Cannon que significa pane geral) já fez várias ações fotográficas descontraídas nas ruas de BH e de outras cidades, em festivais de fotografia e eventos culturais. O Festival Erro 99 – Fotografia Sem Limites é o próximo passo para esse criativo coletivo belo horizontino  que coloca em prática – e na rua-  a experimentação com formatos populares de fomento e discussão da fotografia autoral. Para viabilizar o festival eles precisam de R$17.000,00 e têm até o dia 13 de novembro pra chegar lá.

Curtiu? Quer participar?  Acessa esse link aqui : http://variavel5.com.br/projetos/erro99/ e contribui com o que você puder. Lá você vai conhecer mais sobre o trabalho da galera e descobrir que a descontração e criatividade deles são infinitas! Ah, tem um video também que conta melhor o que é o festival e porque você deve ajudar a realiza-lo. Assite ai!

Por Bárbara Prado


Projeto vencedor do Edital de Ocupação do Galpão 1 da Funarte MG 2014. O Circuito Cultural Brasil Diverso reúne novos nomes da nossa música, artistas consagrados e um público diversificado que prestigia o que há de melhor na produção nacional. Veja a programação dessa semana!

Renato Goda credito Cia De Foto_Divulgacao

Renato Godá (SP)

Sexta, 31/10 às 20h

Após uma turnê sem grandes pretensões pela Europa, Renato Godá foi aclamado pela revista inglesa Timeout, e comparado aos ícones da música Serge Gainsbourg e Leonard Cohen. Seu CD “Canções para Embalar Marujos” traz um som autêntico e envolvente que mistura rock dos anos 1960 e 1970, jazz, folk, chansons francesas e músicas ciganas do Leste Europeu. No #CCBD o artista vai fazer um show acústico, executando suas músicas de uma forma mais crua e verdadeira. Íntima e cheia de alma, a apresentação irá contemplar as canções já conhecidas e as novas do recente

Manoel e Felipe Cordeiro

Manoel e Felipe Cordeiro (PA)

Sábado, 01/11 às 19h e 21h

O paraense Manoel Cordeiro nasceu em Ponta de Pedras na Ilha do Marajó (PA) em 1955. Tornou-se músico ainda muito jovem e participou de inúmeras bandas de baile nos anos 70, antes de assumir uma posição de liderança nos estúdios, em gravações de música popular dançante da Amazônia, que ficaram conhecidas, sobretudo, com o estouro da lambada no fim dos anos 80. Artistas como Alípio Martins, Banda Carrapicho, banda Warilou, Beto Barbosa e Roberta Miranda, contam com a colaboração de Manoel Cordeiro em seus discos, muitas vezes colaborações decisivas, que assinaram um som suingado e elaborado. A sonoridade do multi instrumentista Manoel Cordeiro tem como principal marca a influência da música de países como Guadalupe, Martinica, Suriname, Guiana Francesa e República Dominicana, mesclando-se às tradições musicais do Brasil. Assim, sua música tropical, com nítida influência do zouk, cacicó, soca, cúmbia e merengue, funde-se à todo hibridismo brasileiro. Seja na guitarra, no violão, nos teclados ou nos “truques de estúdio”, criatividade, suingue e virtuosismo são as marcas mais latentes deste músico que expressa um Brasil profundo de forma natural, alegre e pulsante. No #CCBD, Manoel vai contar com a participação especial do filho Felipe Cordeiro. O artista é reconhecido mundialmente por seu pop tropical que mistura merengue, guitarrada, carimbó e música digital em um trabalho pautado pelo resgate dos ritmos tradicionais com influências sonoras modernas.

DANIEL08

Daniel Groove (CE)

Domingo, 02/11 às 17h e 19h

Daniel Groove sobe aos palcos em um show cheio de novidades e performances vibrantes. O compositor e intérprete cearense apresenta seu primeiro disco solo “Giramundo”, lançado em 2013. Nos seus mais de 15 anos de música brasileira, Groove coleciona participações em festivais e shows pelas cinco regiões do país. Seu álbum traz vários ritmos, rock, brega e MPB, e é composto por canções que são verdadeiras crônicas da vida. O show de lançamento de “Giramundo” já passou por diversas cidades e o álbum tem recebido elogios de público e de crítica, sendo citado em algumas das principais listas de melhores discos. O músico iniciou sua trajetória em Fortaleza, onde dividiu o palco com O Rappa, Nação Zumbi, Los Hermanos, Pato Fu e Titãs. Entre 2011 e 2012 ganhou destaque no mapa Oi Novo Som e em outras publicações como revelação musical da região nordeste. A silhueta imponente de Groove esconde notas e poesia capazes de revelar, na voz suave de um homenzarrão, um dos artistas mais talentosos de sua geração. Atualmente, ele é um dos organizadores da Festa Odara e atua como diretor musical e compositor de trilhas originais para peças teatrais.

Serviço:

Circuito Cultural Brasil Diverso

De 03 de outubro a 30 de novembro

Sextas, sábados e domingos

Funarte MG

Rua Januária, 68 – Centro

Ingressos: R$5 (meia) e R$10 (inteira)

Informações: facebook.com/CircuitoBrasilDiverso


Bazar 1 ano da Atele

Para comemorar o seu primeiro aniversário, a Atele, especializada em e-commerce de roupas femininas, preparou um bazar com descontos de até 70% e com a oportunidade de experimentar as peças disponíveis na web. O evento será nos dias 31 de outubro a 2 de novembro em uma casa no bairro Mangabeiras – Rua Arquiteto Rafaelo Berti, 140.

O evento da Atele terá a participação de trezes grifes mineiras: Artsy, Faven, Fruta Cor, Nana Kokaev, Madreperola, Nectarina, Última Hora, Gig, Renata Campos, Maracujá, Calmoni, Raquel Braga e Jardin.

Confira na nossa galeria um prévia do que te espera no bazar!


Alô, amantes de filmes de terror! Começa hoje (24/10) a mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo no Cine Humberto Mauro. 

A mostra dedicada aos gêneros de terror, suspense, policial ou “terrir” (horror + comédia), produzidos no Brasil, é composta por 39 filmes (23 longas e 16 curtas-metragens) produzidos nos anos 1990 e 2000. Além da exibição dos filmes, a mostra inclui palestras e debates com estudiosos e especialistas em filmes brasileiros de terror e de um catálogo com textos inéditos e fichas técnicas.

Teaser da mostra “Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo” from Medo e Delírio on Vimeo.
 

 

PROGRAMAÇÃO
24 SEX
17h “A Menina do Algodão” (Dir.: Kleber Mendonça Filho e Daniel Bandeira * 8 min) + “O Fim da Picada” (Dir.: Christian Saghaard  * 80 min)
19h “Um Ramo” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 15 min) + “Corpo” (Dir.: Rubens Rewald e Rossana Foglia * 85 min)
21h ABERTURA: “Sexta-feira da Paixão” (Dir.: Ivo Costa * 17 min) + “Encarnação do Demônio” (Dir.: José Mojica Marins * 94 min).
 
25 SÁB
16h “Achados e Perdidos” (Dir.: José Joffily * 100 min)
18h “O Escorpião Escarlate” (Dir.: Ivan Cardoso * 90 min)
20h “O Membro Decaído” (Dir.: Lucas Sá * 17 min) + “Olhos de Vampa” (Dir.: Walter Rogério
* 74 min)
 
26 DOM
16h “O Duplo” (Dir.: Juliana Rojas * 25 min) + “Gêmeas” (Dir.: Andrucha Waddington * 75 min)
18h “A Morte e Morte de Johnny Zombie” (Dir.: Gabriel Carneiro * 14 min) + “Mar Negro” (Dir.: Rodrigo Aragão * 96 min)
20h “A Lasanha Assassina” (Dir.: Ale McHaddo * 8 min) + “Morgue Story: Sangue, Baiacu & Quadrinhos” (Dir.: Paulo Biscaia Filho * 78 min)
 
27 SEG
17h “Espeto” (Dir.: Guilherme Marback e Sara Silveira * 17 min) + “Desaparecidos” (Dir.: David Schürmann * 73 min)
21h “O Hóspede” (Dir.: Anacã Agra e Ramon Porto Mota * 17 min) + “Um Lobisomem na Amazônia” (Dir.: Ivan Cardoso * 75 min)
 
28 TER
17h “Amor só de Mãe” (Dir.: Dennison Ramalho * 20 min) + “Strovengah – Amor Torto” (88 min)
19h Palestra: “Cinema de horror: das origens ao abrasileiramento”, por Carlos Primati, pesquisador e especialista em filmes de horror.
21h “Encosto” (Dir.: Joel Caetano * 7 min) + “Bellini e o Demônio” (Dir.: Marcelo Galvão * 20 min)
 
29 QUA
17h “Bufo & Spallanzani” (Dir.: Flávio R. Tambellini * 96 min)
19h “Ninjas” (Dir.: Dennison Ramalho * 15 min) + “FilmeFobia” (Dir.: Kiko Goifman * 80 min)
21h “Mangue Negro” (Dir.: Rodrigo Aragão * 104 min)
 
30 QUI
14h45 “O Xangô de Baker Street” (Dir.: Miguel Faria Jr * 123 min)
19h15 Debate: “Cinema de terror: gênero brasileiro?”, com Rodrigo Carreiro (professor e pesquisador), Juliana Rojas (diretora e roteirista) e Gabriela Amaral Almeida (diretora e roteirista)
21h15 “Vinil Verde” (Dir.: Kleber Mendonça Filho * 13 min) + “Quando Eu Era Vivo” (Dir.: Marco Dutra * 80 min)
 
31 SEX
15h “Sintomas” (Dir.: Fernando Mantelli * 25 min) + “Trabalhar Cansa” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 100 min)
17h15 “Sem Controle” (Dir.: Cris D’Amato * 92 min)
19h “A Mão que Afaga” (Dir.: Gabriela Amaral Almeida * 19 min) + “Nervo Craniano Zero” (Dir.: Paulo Biscaia Filho * 80 min)
21h “Encarnação do Demônio” (Dir.: José Mojica Marins * 94 min)
1 SÁB
16h “Amor só de Mãe” (Dir.: Dennison Ramalho 20 min) + “Strovengah – Amor Torto” (Dir.: André Sampaio * 88 min)
18h Palestra: “Medo de quê? Uma história do horror no cinema brasileiro”, com Laura Cánepa, professora e pesquisadora
20h30 – “A Menina do Algodão” (Dir.: Kleber Mendonça Filho e Daniel Bandeira * 8 min) + “O Fim da Picada” (Dir.: Christian Saghaard * 80 min)
 
2 DOM
16h “A Noite do Chupacabras” (Dir.: Rodrigo Aragão * 106 min)
18h “O Lençol Branco” (Dir.: Juliana Rojas e Marco Dutra * 17 min) + “Brasília 18%” (Dir.: Nelson Pereira dos Santos * 106 min)
20h15 “O Membro Decaído” (Dir.: Lucas Sá * 17 min) + “Olhos de Vampa” (Dir.: Walter Rogério* 74 min)
 
SERVIÇO
Mostra Medo e Delírio no Cinema Brasileiro Contemporâneo
24 de outubro a 2 de novembro
Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537, Centro – Belo Horizonte)
Entrada franca
Informações www.medoedelirio.com.br  

Pois é, cá estamos com novidades do que já rolou na cidade. Espera! O que é mesmo o Yelp? Um site/app mundial em que as pessoas escrevem, espontaneamente, avaliações sobre qualquer tipo de estabelecimento/serviço comercial de uma cidade. Aliás, mais do que isso, somos uma comunidade que pretende mudar a maneira como as pessoas se relacionam e compartilham conhecimento local.

Para começar esquentando (ou refrescando), fizemos o 1º Yelp HappyHour na varandinha delícia do Café Jolie na última quinta-feira. Reunimos alguns novos e outros conhecidos yelpers para rodadas de drinks, cervejas e comidinhas deliciosas do Jolie. Na faixa!

Yelp BH

foto2

foto3

 

E no domingo passado marcamos presença na festa de comemoração de 2 anos do Sofar Sounds Brasil. Chegamos ao Samba Rooms Hostel, local secreto da festa revelado na véspera, dando a primeira cerveja para quem fizesse check-in pelo nosso app. Tudo para aplacar o calor e dar um gostinho diferente ao evento. Dentre tantos shows incríveis, fica aí a dica do Sergio Pererêque fechou a noite com todo mundo de pé e com um sorriso no rosto.

foto4

foto6

foto7

“Eu quero ir no próximo! Como faz?” A gente explica: é só criar um perfil no Yelp e ficar de olhos nos eventos que vamos organizar, marcar presença e sijogar com as pessoas mais interessantes do Belô. Aproveite para fazer avaliações dos seus estabelecimentos preferidos.

E já temos um segundo encontro sendo planejado para o início de novembro. Você vem? Divulgaremos as informações semana que vem.

Enquanto isso, segue a gente por aí no YelpFBInstatwitter e no offline que é mais gostoso ;)

 

Post escrito por Sérgio Souto, Community Ambassador do Yelp em Belo Horizonte.